Conectado por
Governo de Rondônia

Acre

Reações em adolescentes pós-vacinação contra o HPV serão investigadas no Acre

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Nas ultimas semanas, várias adolescentes relataram aos pais reações anormais pós-vacinação contra o vírus HPV. A vacina é distribuída pelo poder público às garotas com idades entre 11 e 13 anos, como forma de prevenção. No Acre, uma garota chegou a ser internada após desmaios e perda dos controles motores do corpo.

O caso chamou a atenção as autoridades do setor de saúde, que já iniciaram a investigação das reações. Uma equipe do Comitê de Famacovigilância em Vacinas, de Manaus (AM), está no Acre para iniciar pesquisas sobre os problemas relatados pelas menores. Ao todo, 10 garotas tiveram problemas no Acre.

O coordenador de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), Maiséis Viana, confirma que há indícios de mais de 10 casos, mas oficialmente apenas 10 estão sendo investigados. Há inclusive casos de mortes pós-vacinação, mas a pasta alerta que não houve relação com a vacina.

“O que temos a dizer é que estamos iniciando uma investigação, e ela ainda leva um tempo, até porque são casos complexos que merecem ser estudados. É interesse nossos que fechemos esses casos e tenhamos um resultado. Na próxima semana o Ministério da Saúde vai estar enviando o relatório dessa visita”, explica.

O que pode acontecer com quem toma a vacina?

Segundo a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), os eventos adversos mais comuns relacionados à vacina de HPV são dor, inchaço e vermelhidão no local da aplicação. Febre, mal estar e dor de cabeça também são reações relatadas por parte dos vacinados.

Podem ocorrer ainda desmaios nos primeiros 15 minutos após a vacinação. Segundo os especialistas, essas reações são benignas, sem gravidade e não deixam sequelas. Os desmaios não são reações específicas à vacina de HPV e que estão relacionados a fatores emocionais.