Conectado por

Política

PSDB pretende manter Hildon e eleger Laerte Gomes, com Casa Civil vaga governo Marcos Rocha patina, maioria do eleitorado de Rondônia é de mulheres


Compartilhe:

Publicado por

em

PSDB – Os tucanos tem a presidência regional da deputada federal Mariana Carvalho, mas quem realmente “dá as cartas” é o ex-senador Expedito Júnior, que durante muitos anos presidiu o partido em Rondônia, mesmo sem mandato, o que demonstra sua força partidária. Hoje Expedito está sem mandato, mas o partido tem o prefeito da capital (Hildon Chaves) e o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes, além de Mariana e do seu filho, Expedito Neto, que preside o PSD, mas é um aliado fiel na Câmara Federal.

Publicidade

Futuro – Nas eleições municipais do próximo ano Expedito pretende ampliar a força do PSDB e do seu grupo no Estado. Além da busca pela reeleição de Hildon Chaves, na capital, uma das metas é ganhar a Prefeitura de Ji-Paraná, segundo maior município e colégio eleitoral de Rondônia com 85.978 eleitores nas eleições de 2018. O presidente da Ale, Laerte Gomes é um político em ascensão e esperança dos tucanos na disputa pela sucessão municipal em Ji-Paraná. Caso o PSDB mantenha a prefeitura da capital com Hildon e seja vencedor em Ji-Paraná, Expedito tem uma ótima estrutura para disputar o governo do Estado em 2022, cargo que ele almeja há tempo.

Secretário – A falta de objetividade da administração do governo Marcos Rocha (PSL) é notória, flagrante. Pouco ou quase nada de relevância foi feito e, mesmo as questões mais simples, como resolver a situação dos agentes penitenciários, ainda, indefinida e favorecendo as dezenas de fuga e até ameaça de explosão de presídio se conseguiu solução. Sem nenhuma experiência na administração pública Marcos Rocha não se ateve que os secretários e assessores diretos são fundamentais. A equipe do governador está mais preocupada em “atender o patrão” que população.

Diálogo – Outro problema sério no governo do Estado é a falta de diálogo com a Assembleia Legislativa. Não que o líder do governo, Eyder Brasil (PSL) não queira, ou não tenha competência, mas não consegue, porque falta ao governo um chefe da Casa Civil. É ele quem realmente cuida do trabalho político promovendo diálogo e parcerias com o legislativo estadual, principalmente. Pedro Pimentel, que ocupou o cargo e foi para o Planejamento, sua área e responde interinamente pela Casa Civil é um ótimo técnico, mas o que ele entende de política o Pelé “entende” de bomba atômica. Sem alguém experiente na Casa Civil, Marcos Rocha terá muitas dificuldades, como está ocorrendo, para governar e continuará sofrendo críticas dos deputados em razão da falta de diálogo. Já dizia um político ativo de Rondônia: “ninguém administra um Estado suzinho”.

Respigo

As mulheres predominam entre o eleitorado de Porto Velho, onde votaram 334.529 pessoas nas eleições de 2018. Do total de votantes, 173.831 (51.96%) de mulheres e 160.667 (48,04% de homens) +++ Em Ji-Paraná, segundo colégio eleitoral do Estado a situação não é diferente da capital. As mulheres que votaram no município em 2018 somaram 45.035 (53,38%) e os homens 40.943 (47,62%) +++ No entanto a representatividade da mulher é diminuta na Ale com apenas duas mulheres: Rosângela Donadon (PDT-Vilhena) e Cássia dos Muletas (Podemos-Jaru). A situação melhora na Câmara Federal onde dos oito deputados três são mulheres: Mariana Carvalho (PSDB), Sílvia Cristina (PDT) e Jaqueline Cassol (PP), muito pouco para quem é a maioria do eleitorado de Rondônia +++ Amanhã (19) é feriado nacional quando se comemora a Sexta-Feira da Paixão. A coluna retorna na segunda-feira (22) +++ Quem está hoje mais bravo que cachorro de japonês é o jornalista Sérgio Pires, que assina a coluna “Opinião de Primeira” em “trocentos” sites de notícias, inclusive no Rondônia Dinâmica, porque o Internacional perdeu, nos pênaltis o Campeonato Gaúcho na noite de ontem (17) para o arquirrival Grêmio. Já o seu filho Vinícius, também jornalista, editor do RD e gremista roxo está com o sorriso de orelha a orelha.

Autor / Fonte: Waldir Costa / Rondônia Dinâmica