Conectado por

Nacional

Professor envenenado queria denunciar “rachadinha” em escola

Publicado por

em

Continua após a publicidade

Um áudio enviado a um amigo, ao qual o Metrópoles teve acesso com exclusividade, o professor Odailton Charles de Albuquerque Silva, 50 anos, denuncia suposto esquema de “rachadinha” no Centro de Ensino Fundamental (CEF) 410 Norte. Na gravação, o ex-diretor, que morreu envenenado por uma espécie de raticida, popularmente conhecido como chumbinho, afirma que iria levar a denúncia para a Coordenação Regional de Ensino do Plano Piloto.

O docente se preparava para deixar o cargo de direção da unidade educacional e comentou que visitaria o colégio para se “acertar com o pessoal”. “Quinta-feira eu vou lá na escola, vou fazer os acertos com o pessoal: passar extrato bancário, essas coisas que eu tenho que passar. Estou recolhendo uns documentos particulares para fazer uma denúncia formal na [Coordenação] Regional de Ensino”, diz.

O educador continua dizendo que a denúncia envolveria “um dinheiro” deixado por ele no colégio. “Eles [os superiores] nunca repassaram para mim. Seguraram o dinheiro e agora estão utilizando da forma como eles querem, contratando a empresa que eles querem também. Acho que está havendo ‘rachadinha’ lá”, comenta.

Segundo Charles, a acusação do esquema partiu de dentro da escola. “Andei conversando com os colegas e está havendo ‘racho’ de dinheiro, propina para beneficiar empreiteiros. Por isso que eu indiquei dois ou três empreiteiros lá e eles não aceitaram de jeito nenhum. Seguraram o dinheiro até agora em janeiro. Agora, está de vento e popa, liberando dinheiro à vontade lá. Então, vou fazer essa denúncia, vou recolher tudo que eu tenho de prova, de gravação, e vou arrebentar a boca do balão lá.”

O professor termina o áudio manifestando, também, o interesse de levar o caso à Justiça. “Vou botar no pau esse povo, comigo vai ser tudo na Justiça”, finaliza. Em nota, a Secretaria de Educação (SEE-DF) disse aguardar as investigações policiais e a finalização do inquérito para se pronunciar.

Ouça o áudio:

FONTE: Metrópoles