Conectado por

Economia

Procurador que chamou salário de R$ 24 mil líquidos de ‘miserê’ recebeu, em média, R$ 60 mil líquidos por mês

Publicado por

em

O procurador de Minas Gerais Leonardo Azeredo, que chamou de “miserê” um salário de R$ 24 mil, recebeu, em média, R$ 60 mil líquidos por mês em 2019, segundo Portal da Transparência do Ministério Público. O valor soma salário, indenizações e outras remunerações. O áudio com a indignação do procurador se tornou público na segunda-feira (9).

Continua após a publicidade

Levantamento feito no Portal da Transparência mostra que Leonardo Azeredo recebe remuneração bruta de R$ 35.462,22. Com descontos, o valor vai para cerca de R$ 24 mil líquidos. Mas, nos sete primeiros meses deste ano, indenizações e outras remunerações “engordaram” o contracheque do procurador.