Conectado por

Acre

Primo que atirou em cabeça de criança quando tentava matar boi no Acre ‘não come, só chora’, diz família


Compartilhe:

Publicado por

em

A pequena Francisca Jaqueline Almeida, de 10 anos, passou por uma cirurgia no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), para retirar a bala que ficou alojada na cabeça. Ela foi atingida acidentalmente por um tiro quando o primo matava um boi, no último sábado (27), na zona rural de Rodrigues Alves, no interior do Acre.

A mãe de Francisca, a dona de casa Maria Paulina, de 29 anos, conversou com o G1 e disse que o primo, cujo nome ela pediu para preservar, está muito abalado com o que aconteceu.

“Ele está transtornado, não come e só chora. Ele a esposa dele, estão todos assim. Foi um tiro acidental. Não foi porque ele quis, não viu ela”, defende a mãe.

O rapaz estava atrás de um boi numa região de mata e do local onde ele estava posicionado não dava para ver a menina.

“Ele estava muito longe e não estava vendo minha filha. Ele estava na mata e minha casa fica no meio do campo. Pedi que ela fosse na casa da minha irmã levar um copo de arroz. Ela saiu, quando escutei o barulho do tiro que saí na varanda, ela já estava no chão”, conta.

Socorro

Como moram num local afastado, o pai de Francisca precisou ir de moto até a cidade para chamar o socorro. Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) atravessou a balsa em Rodrigues Alves com a menina, onde outra ambulância, com suporte avançado, a conduziu até Cruzeiro do Sul, para que ela recebesse os primeiros atendimentos.

Ela diz que o disparo aconteceu porque o animal era bravo e não tinha como prendê-lo para fazer o abate, por esta razão ele precisou atirar para tentar matar o boi, e acabou acertando a menina.

Menina está na UTI

Transferida para Rio Branco, a menina passou por uma cirurgia no Huerb e foi levada para o Hospital da Criança, no domingo, (28), onde está internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). O quadro de saúde é grave.

Maria Paulina, diz que segundo os médicos, o quadro da filha é estável — Foto: Alcinete Gadelha/G1

Maria Paulina, diz que segundo os médicos, o quadro da filha é estável — Foto: Alcinete Gadelha/G1

O diretor do Hospital da Criança, Wagner Bacelar, disse que a menina respira com a ajuda de aparelhos.

“A situação é grave. Encontra-se na UTI pediátrica e toda a equipe vem prestando a assistência necessária que o caso requer, porém, o caso é de extrema gravidade”, disse.

Menina de dez anos corre risco de ficar com sequelas — Foto: Arquivo pessoal

Menina de dez anos corre risco de ficar com sequelas — Foto: Arquivo pessoal

Homem ainda não foi ouvido

O delegado responsável pelas investigações, José Obetânio, esperava que o suspeito do disparo se apresentasse nesta segunda à delegacia. Como ele não se apresentou, uma equipe da Polícia Civil foi enviada à comunidade para tentar localizá-lo.

“Uma equipe já se dirigiu para a comunidade com o objetivo de localizar a intimar o cidadão’, afirmou o delegado.

No dia do incidente uma equipe da PM foi à comunidade e ouviu moradores que contaram que o rapaz estava dentro de uma mata com uma espingarda aguardando o animal se aproximar para abatê-lo e, quando atirou, o projétil atingiu a criança que passava a mais de 100 metros de distância.

O cartucho da arma deflagrado foi encontrado pela equipe da PM e levado para a delegacia.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *