Conectado por

Agronegócios

Prevalência de Salmonella ssp. é desafio constante nas granjas, alerta Trouw Nutrition

Publicado por

em

Todos os elos da cadeia de proteína animal estão suscetíveis a contaminação pela bactéria; estratégia preventiva diminui os riscos de proliferação

Continua após a publicidade

 

A salmonelose representa um importante desafio global de saúde pública, com forte prevalência em alimentos de origem animal. “O risco de contaminação está presente em todos os elos da cadeia da produção, afetando o desempenho dos animais, a segurança alimentar e o retorno econômico de avicultores, suinocultores e pecuaristas”, explica Fernanda Andrade, gerente de programa Feed Safety da Trouw Nutrition. Farinhas e farelos proteicos têm alta suscetibilidade à proliferação da bactéria Salmonella ssp. e necessitam de atenção especial em todo o processo até ser oferecidos aos animais.

“Subprodutos que constituem a farinha de carne têm alto valor nutricional para alimentação de aves, suínos e pets. Por ser oriundos do processamento industrial de tecidos animais, os ingredientes devem passar por processamento para ficar isentos de patógenos. O mesmo processo deve ser feito com os insumos extrusados de oleaginosas. As condições durante a tostagem e o cozimento são de importância crítica para eliminação da bactéria”, alerta Fernanda Andrade.

Importante lembrar que o controle precisa continuar em outras etapas, em ambientes que também apresentam riscos de contaminação. “A recontaminação pode ocorrer após o processamento, na própria planta de produção, durante o armazenamento, transporte e manuseio. O processo de resfriamento é um ponto crítico de controle, pois nesse equipamento temos todas as condições ideais para o crescimento de microrganismo. O principal sinal clínico de Salmonelose nos animais é a ocorrência de diarreia. Como a bactéria é eliminada pelas fezes, o correto manejo e destinação são críticos para impedir a transmissão e manutenção da Salmonella na granja.

Fernanda Andrade lembra que a recontaminação significa custos extras aos produtores e atraso na entrega das matérias-primas, devido ao período necessário para a eliminação dos focos de transmissão. “A Trouw Nutrition desenvolveu soluções para proteger os ingredientes da ração, sem riscos de toxicidade para animais e humanos. Trata-se da linha Fysal®, destinada à proteção de grãos e insumos de origem animal”, destaca a gerente de Feed Safety da Trouw Nutrition.

Fysal® pode ser usado nas matérias-primas para alimentação animal e também tem eficiência comprovada no ambiente, seja no plantel, fábrica de ração e transporte. As moléculas de ácidos orgânicos presentes em sua composição contribuem para a redução de recontaminação com efeito duradouro.

“O controle microbiológico das granjas deve ser feito de forma integrada com diagnóstico claro e assertivo, planejamento estratégico que envolve sanidade, controle de alimentos, aplicação de medidas de biosseguridade, higienização do ambiente e o uso de ácidos orgânicos na água de bebida para o controle da Salmonella. Devido ao alto risco à saúde animal e humana, quando falamos de salmonelose precisamos focar em métodos preventivos para evitar prejuízos e ameaça ao status sanitário das granjas”, complementa Fernanda Andrade.

Texto Assessoria