Conectado por
Governo de Rondônia

Agronegócios

Preços da soja no Brasil continuam em alta

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Os preços da soja no Brasil continuam em um alta crescente, ao contrário dos Estados Unidos, onde as cotações só “andam para os lados”. Foi isso que informou Michael Cordonnier, analista da Soybean & Corn Advisor, Inc, em um texto publicado no portal especializado agropages.com.  

“Enquanto os preços da soja nos EUA se movem para os lados, os preços da soja no Brasil continuam subindo de forma agressiva. Na quarta-feira, o preço à vista da soja no Porto de Paranaguá, no sul do Brasil, foi de R $ 89,00 por saco (aproximadamente US $ 9,86 por bushel), com um preço de setembro de R $ 90,00 por saco (aproximadamente US $ 9,97 por bushel). Ambos os preços subiram mais de 1% na quarta-feira. No Porto do Rio Grande, no extremo sul do Brasil, o preço à vista na quarta-feira foi de R $ 87,50 por saco e setembro foi de R $ 88,50 por saco (aproximadamente US $ 9,70 e US $ 9,81 por bushel, respectivamente)”, comenta. 

Além disso, ele explicou ainda que, no Brasil, os preços mais altos da soja são o resultado de uma demanda mais forte da China, com trituradores domésticos competindo por soja e um aperto cada vez maior no fornecimento de soja. Nesse cenário, talvez seja até possível que o Brasil possa ficar sem soja antes que a nova safra fique disponível em janeiro, principalmente se o plantio for atrasado devido ao clima seco. 

Durante o mês de agosto, os prêmios no porto de Paranaguá aumentaram 55%, de US $ 0,90 para US $ 1,40 por bushel, em relação à Junta Comercial de Chicago. Para setembro, os prêmios aumentaram 42%, de US $ 0,95 para US $ 1,35 por bushel em relação a Chicago. Também há mais interesse na nova safra de soja, bem como os chineses registrando agressivamente as cargas para fevereiro e março.