Conectado por

Porto Velho

PORTO VELHO: Exposição em homenagem às mulheres pioneiras segue até 21 de agosto no Mercado Cultural


Compartilhe:

Publicado por

em

Evento mostra o legado deixado por 17 importantes personagens da nossa história

 

A história de mulheres corajosas que ajudaram a construir a cidade de Porto Velho está presente na exposição fotográfica “Afro-Antilhanas do Madeira: Pioneiras na Arte de Educar”, exposta no Mercado Cultural. A mostra continua até o dia 21 de agosto e apresenta 17 personagens com o grande legado que deixaram para Rondônia.

Marcela Bonfim, especialista em retratar a história das comunidades negras

Marcela Bonfim, especialista em retratar a história das comunidades negras

Realizada pela Prefeitura de Porto Velho em parceria com a Universidade Federal de Rondônia (Unir) e o Serviço Social do Comércio (Sesc), a exposição faz parte das comemorações alusivas ao Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha, celebrado em 25 de julho.

“Nossa expectativa é fazer com que a comunidade venha para reconhecer a importância destas mulheres. Estamos falando de olhar para cada uma delas e ver nelas o nosso próprio retrato”, diz a economista e curadora Marcela Bonfim, especialista em retratar a história das comunidades negras por todo o Brasil.

Ela conta que não foi fácil traçar uma linha do tempo e reunir o acervo fotográfico das pioneiras que vieram de longe e impactaram de forma positiva a história da cidade, especialmente na educação e saúde. “Meu papel é organizar tudo isso em imagem e narrativa”, destaca.

O fotógrafo e documentarista Luiz Brito, que também ajudou na escolha do material exposto, se orgulha de ter fotografado (em 2006) a pioneira Amélia Banfield, que nasceu em 1916. “A importância da fotografia nesse contexto é nos colocar frente a frente com personagens da nossa cidade. Existem muitos outros, mas só conseguimos reunir estas”, declarou.

Fotógrafo e documentarista Luiz Brito

Fotógrafo e documentarista Luiz Brito

Marcela Bonfim também destacou o fato da Prefeitura Municipal e outras instituições reconhecerem a importância dessas mulheres. Disse ainda que, cabe aos livros de História de Rondônia contar a educação também a partir do trabalho realizado pelas afro-antilhanas do Madeira.

Para saber mais sobre a história, a importância e o legado deixado por essas mulheres, cujas imagens fazem parte da coletânea que compõem a exposição fotográfica, existe um site com memorial fotográfico: https://afroantilhanas.wixsite.com/domadeira

Texto: Augusto Soares
Foto: Leandro Moraes

Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

Memorial Fotográfico Afro Antilhanas do Madeira

Fotos: Leandro Morais

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento