Conectado por
Governo de Rondônia

Saúde

Porto Alegre emite alerta e confirma cinco casos de sarampo

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Depois de sete anos sem registros, a Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul e o Centro Estadual de Vigilância em Saúde confirmaram nesta semana cinco casos de sarampo em Porto Alegre. Nesta quinta-feira (14), a secretaria de saúde do município enviou alerta aos serviços da rede de saúde para que casos suspeitos sejam comunicados o mais rápido possível e para que a vacinação seja intensificada.

O último caso da doença no estado tinha sido registrado em 2011.

A região das Américas foi considerada livre de sarampo em setembro de 2016, mas, desde o início do ano, o Brasil vive um surto da doença que afeta, principalmente, a região norte do país.

Em Roraima, de acordo com a secretaria de saúde do estado, já são 198 casos de sarampo confirmados em sete municípios diferentes. Outros 405 casos suspeitos estão sendo investigados.

Outro estado com alto número de casos é o Amazonas. De acordo com o boletim da Sala Estadual de Resposta Rápida para Surto de Sarampo do Amazonas, divulgado no dia 6 de junho, 905 pessoas foram contaminadas pelo vírus do sarampo no estado, destas, 842 vivem em Manaus.

Casos importados

De acordo com a secretaria gaúcha, o primeiro caso confirmado no estado é o de uma estudante de 25 anos que esteve em Manaus. Os demais pacientes são pessoas que convivem com ela.

Outros dois casos estão em investigação, um em Porto Alegre e outro em Vacaria, no norte do estado. As duas pessoas também conviveram com a estudante nos últimos dias.

Desde o início do ano, já são seis casos confirmados de sarampo no Rio Grande do Sul. A primeira notificação, em março, foi de uma criança de um ano, não vacinada, da cidade São Luiz Gonzaga. Ela teria se contaminado durante uma viagem à Europa – o continente enfrenta um surto da doença.

Vacina protege contra a doença

A vacina que protege contra o sarampo é a tríplice viral, que também age contra a rubéola e a caxumba. Ela deve ser tomada em duas doses, com intervalo de um a dois meses, em qualquer idade.

Para as crianças, a Sociedade Brasileira de Pediatria indica que a primeira dose seja aplicada quando ela completa um ano e a segunda entre 1 ano e 3 meses e 2 anos.

A vacina está disponível no SUS. Pessoas entre 12 meses a 29 anos podem tomar as duas doses de graça. Pessoas entre 30 e 49 anos podem tomar uma dose – pessoas com mais de 30 anos são consideradas protegidas contra a doença mesmo que tenham tomado apenas uma dose.

Nas clínicas particulares, a vacina tríplice viral custa cerca de R$ 50,00 a dose.

Sarampo

De acordo com a Fiocruz, o sarampo é uma doença extremamente contagiosa, que pode ser transmitida diretamente de pessoa para pessoa, pela tosse, espirro, fala ou respiração.

Entre os sintomas estão o aparecimento de manchas vermelhas no corpo, febre alta, mal-estar, coriza, irritação ocular, tosse e falta de apetite.

Além disso, o sarampo também pode causar infecção nos ouvidos, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e morte.

O vírus também pode atingir as vias respiratórias, causar diarreias e até infecções no encéfalo. A doença costuma atingir de forma mais grave os desnutridos, recém-nascidos, gestantes e as pessoas portadoras de imunodeficiências.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *