Conectado por
Governo de Rondônia

Mato Grosso

População de Cuiabá perde 41 linhas de micro-ônibus


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Quem depende do transporte coletivo de Cuiabá vai amargar mais tempo nos pontos de ônibus visto que 41 linhas que eram feitas por micro-ônibus em Cuiabá pararam de operar no sistema por conta da inviabilidade das planilhas e ordens de serviço que vem sendo elaboradas pela Secretaria de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob).

“Os micro-ônibus foram colocados para operar em horários que não tem fluxo de passageiros enquanto os ônibus ficaram com os horários de pico, obrigando a população a se submeter ao transporte lotado que não atende a demanda enquanto os micro-ônibus parados não podendo fazer o seu papel de transporte alternativo, penalizando o usuário”, reclama Fabiano Subtil Albuquerque Leão, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte Público Alternativo de Passageiros do Estado de Mato Grosso (SETA-MT).

No início de 2017 foram retirados 8 micro-ônibus pela Semob e agora pararam de operar mais 41 linhas de empresários que desistiram da permissão de operação em Cuiabá por não conseguirem manter os micros trabalhando por estarem em horários e linhas sem passageiro para compensar.

As linhas que foram prejudicadas com a saída desses micros foram Pedra 90-Centro, CPA-Unic, 1º de Março-Av.dos Trabalhadores, Parque Cuiabá-Santa Izabel, Cidade Verde-Jardim Imperial, Itapajé-Santa Amália, Paiaguás-Centro,  Tijucal –Centro, Praieiro-Centro, Unic-Santa Rosa, Planalto-Centro, Umuarama- Centro, Três Barras-Porto.

Ficaram apenas 7 micro-ônibus operando no sistema. Sendo 2 atendendo a linha Itamarati-Centro, CPA II –Unic, Tijucal- Centro, São Sebastião-Chopão, Parque Cuiabá-Santa Izabel, Santa Terezinha – Santa Amália.

“É preciso que a Semob se sensibilize e reveja essa decisão de tentar tirar os micros a qualquer custo do sistema e veja que na verdade a maior prejudicada é a população que precisa dos micros, visto que os ônibus não suprem a demanda”, denuncia Fabiano.

O Seta está tentado marcar uma reunião com a Semob para discutir a situação, porém até o momento não obteve resposta.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

treze + 17 =

Publicidade
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento