Conectado por

Mato Grosso

Policiais penais e servidores de penitenciárias reclamam de EPI’s fornecidos pelo Governo de MT

Publicado por

em

De volta ao Parlamento Estadual desde o dia 15 de maio, o deputado João Batista (Pros) voltou à rotina de visitar unidades prisionais de Mato Grosso e buscar saber dos funcionários se estão recebendo Equipamento de Proteção Individual (EPI) e se existe algum policial penal ou servidor da saúde com sintomas do novo coronavírus.

Continua após a publicidade

Leia mais:
Com multa de R$ 1 mil, prefeita endurece e fecha o cerco contra o coronavírus

Em sua primeira visita, Batista esteve na unidade penitenciária do Capão Grande, em Várzea Grande. Acompanhado de policiais penais e servidores da cadeia, o parlamentar, que também é policial penal de carreira, disse que ouviu todos os anseios e espera fazer esse tipo de acompanhamento em todas os centros de detenção da região metropolitana e depois das cidades do interior.

“Hoje começamos pelo Capão Grande, depois fomos ao Centro de Custódia de Cuiabá e mais tarde no Centro de Ressocialização, antigo Carumbé. Estamos checando se os funcionários estão recebendo EPI e todos os anseios da categoria. Já colhemos algumas sugestões e reclamações e vamos levar ao plenário da Assembleia para encaminhar ao Secretário de Segurança”, disse Batista.

Entre as reclamações está o capote, que é um equipamento de pano que fica sobre o jaleco do profissional da saúde, ele não está correto. Esse equipamento evita que ele tenha contato com a saliva, suor ou sangue do detento. “O pessoal da saúde reclamou do capote, pois não está impermeabilizado e por isso não estaria sendo um equipamento com a devida proteção”, comentou.

Quanto aos agentes, a reclamação é o número de máscaras que foi entregue apenas dois para cada um e não foi entregue o capote para os policiais penais. “Foi concedido álcool, mas não é gel. É necessário comprar o capote para que cada agente use, pois se for necessário carregar o preso ele não pode ter o acesso direto à pele do detento. Vale dizer também que no Capão Grande não há registro algum de caso de Covid-19, mas mesmo assim os presos passam por um processo de desinfecção com água e água sanitária. Só depois disso, que ele é colocado em cela”, completou o deputado.

Todas as reivindicações serão levadas ao Secretário Alexandre Bustamente, mas antes serão colocadas em pauta no expediente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso-AL/MT.

 

(Olhar Direto)