Conectado por

Candeias do Jamari

Polícia pede prisão preventiva de suspeito de tentar matar o pai a pauladas em Candeias do Jamari, RO


Compartilhe:

Publicado por

em

O homem suspeito de tentar matar o próprio pai a pauladas em Candeias do Jamari (RO), distante cerca de 24 quilômetros de Porto Velho, foi liberado após prestar depoimento à Polícia Civil, em Porto Velho. Segundo o delegado titular da Central de Flagrantes, o suspeito não pôde permanecer preso pois não havia mais prazo para a prisão em flagrante, mas um pedido de prisão preventiva foi encaminhado à Justiça.

O delegado André Tiziano, titular da Central de Flagrantes, informou que a Polílicia Militar (PM) levou o suspeito para a Central na última quinta-feira (30) e foi constatado que a agressão contra o pai havia ocorrido dias antes da prisão, por isso não havia como realizar a prisão em flagrante.

“[O delegado] fez as entrevistas, ouviu o suspeito, ouviu policiais militares e fez uma representação ao judiciário por prisão preventiva do suspeito, e isso está sendo analisado pelo judiciário”, afirma o delegado André Tiziano.

Segundo o delegado, o suspeito chegou a confirmar em depoimento que havia matado o pai em uma briga, e deu pauladas na cabeça do idoso. Tiziano ainda afirmou que um exame de insanidade mental deve ser realizado.

“Uma pessoa praticou um ato desse contra o próprio pai, nesse contexto onde ele esclarece que por questões banais, uma discussão entre os dois, sem dúvida nenhuma requer esse cuidado, essa análise. Um exame de insanidade mental é importante. Isso certamente será feito pela autoridade policial e judiciária no decorrer do processo”, finaliza.

O caso

Um homem de 33 anos foi preso na quinta-feira (30) em Candeias do Jamari, suspeito de tentar matar o próprio pai, um idoso de 65 anos, a golpes de madeira. Depois de ter sido dado como morto pelos policiais, moradores e o pelo próprio suspeito, foi constatado pela perícia médica constatou que o idoso na verdade estava vivo.

Segundo a polícia, os moradores relataram terem sentido a ausência do idoso desde a sexta-feira (24). Além disso, reclamaram de um forte cheiro vindo da casa da vítima. Na abordagem, o filho da vítima informou aos policiais que o pai estava viajando. Porém, quando entraram na residência, encontraram o idoso escondido embaixo de uma cama.

Questionado pelos militares, o acusado afirmou que tinha matado o próprio pai após uma discussão na última sexta. Na ocasião, ele o empurrou, fazendo com que a vítima batesse a cabeça na cama. O suspeito disse ainda que bateu quatro vezes na cabeça do pai com um pedaço de madeira. Após o crime, ele contou ter empurrado o corpo para debaixo do móvel.

No entanto, contrariando os vizinhos, a polícia e o próprio acusado, o idoso foi encontrado vivo. A conclusão veio após chegada da perícia ao local do crime. No local, uma das médicas constatou que a vítima ainda respirava, mesmo desacordada e com ferimentos na cabeça.

Segundo a assessoria de comunicação do Hospital João Paulo II, o idoso continua internado em estado grave na semi-UTI.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *