Conectado por
Governo de Rondônia

Concursos

Planejamento é a chave para mudança de carreira

Publicado por

em


Continua após a publicidade

O tempo em que os profissionais permaneciam durante anos no mesmo cargo e empresa parece ter acabado. Com o avanço tecnológico e a mudança de comportamento e expectativas da geração em destaque no mercado de trabalho, é cada vez mais comum que a troca de carreira seja almejada.

Segundo a pesquisa “Re:Trabalho”, realizada pela Tera e pela Scoop&Co, mudar de profissão é o “novo normal”. Isso porque 63% dos participantes já mudaram de carreira – entre eles, 70% mais de duas vezes. Entre os que ainda não fizeram a transição, 48% pretendem mudar nos próximos 12 meses e 70% querem uma carreira mais alinhada a seus interesses e propósitos de vida.

Entre os cargos emergentes estão liderança de produto, analista de dados, UX designer, scrum master – profissional responsável pelo gerenciamento e pela organização de projetos – e cientista de dados. Outro ponto levantado é a flexibilidade nos contratos, já que muitos pretendem mesclar seus tempos entre o trabalho de freelancer e o emprego fixo.

Além disso, há a busca por lideranças mais ativas, com clareza e que tenham a habilidade de inspirar. O levantamento contou com 438 respondentes, moradores de todas as regiões do país, especialmente do Sudeste (77%), de diferentes idades e profissões.

Como trocar de carreira

Antes de tudo, para efetivamente mudar de carreira, um planejamento precisa ser feito. Nele, é preciso levar em conta a profissão atual e o caminho a ser trilhado até que a nova carreira seja parte do cotidiano. Neste sentido, movimentos por impulso são comuns nessas fases, e, para evitar um passo errôneo, é essencial traçar uma transição com cautela.

Com a maior digitalização e a preferência por carreiras nas áreas de tecnologia, não há cursos formais que supram a demanda de atualização recorrente na maior parte dos casos. Assim, o profissional que busca mudar de carreira precisará se capacitar, por meio de cursos de extensão online, mentorias e novos projetos, para se preparar para o mercado.

Consequentemente, a mudança exige uma nova rede de contatos. Isso porque, muitas vezes, a nova área possui valores e cultura próprios, que levam um longo tempo para serem aprendidos, especialmente quando as mudanças são bruscas, como um advogado formado migrando para a área de Tecnologia da Informação, por exemplo.

Visto como um ponto de partida e uma demarcação de reinício para muitos, um ano novo se aproxima. Assim, 2021 apresenta um cenário de reconstrução frente ao que 2020 foi, e poderá ser encarado como o momento de mudança ideal na carreira, até mesmo para os que almejam a possibilidade da carreira pública, onde há diversos concursos abertos.

Assessoria