Conectado por

Agronegócios

Pesquisa: produtividade do cafezal aumenta 15% com aplicação de aminoácidos e potássio


Compartilhe:

Publicado por

em

Os cafeicultores brasileiros estão buscando cada vez mais elevar a qualidade de seu produto no mercado. Com um grão bem desenvolvido, a melhora na bebida também é certa. Entretanto, para atingir uma colheita de sucesso, é importante que os agricultores estejam atentos ao período de maturação do fruto de café, pois há alguns fatores externos que podem dificultar esse processo, como por exemplo, as adversidades climáticas.

Nesse cenário, os cuidados com o manejo nutricional, durante a etapa, são aliados na rentabilidade das lavouras. Um estudo feito pela Alltech Crop Science, em parceria com a empresa Agrovista, no município de Águas da Prata (SP), mostrou que, quando o cafeeiro foi tratado com produtos à base de potássio e aminoácidos específicos, houve um aumento médio de 15,6% na produtividade, representando um incremento de 15,4 sacas de café beneficiado (60 kg) por hectare.

A aplicação de soluções naturais à base de aminoácidos, potássio e um conjunto de micronutrientes é fundamental no processo de maturação do fruto, como explica o engenheiro agrônomo Marcos Revoredo, gerente técnico especializado em hortifrúti e café da Alltech Crop Science. “Nesse momento a planta está focada em transportar sua reserva a esses frutos em formação, e se estiver desequilibrada nutricionalmente, a maturação pode ser comprometida, assim como a vida dessa planta. Isso porque nessa fase também ocorre a formação de tecidos vegetativos, que vão influenciar o próximo ano agrícola”, explica.

Além disso, a pesquisa também mostrou um crescimento no fruto padrão cereja, considerado o ideal para a colheita: de 52,2% para 69,1% com o uso das tecnologias de nutrição. Outro número significativo foi o aumento na quantidade dos grãos de peneira 17, saltando de 40,6% para 42,3%. Os grãos de peneira 16 se mantiveram iguais, com 25,5%, e houve queda nos grãos menores, com tamanhos entre 13 e 15, de 21,1% para 20,3%. A catação de defeitos também caiu, de 12,7% para 11,9%.

Essas melhorias ocorrem porque as soluções nutricionais atuam no metabolismo da planta e intensificam o transporte de fotoassimilados da folha para o fruto, favorecendo o enchimento e a formação dos grãos. A solução também promove uma redução no estresse da fisiologia da planta, mantendo-as com um melhor vigor durante a fase de maturação do cafeeiro.

“A maturação é o momento em que acontece a intensificação de transporte de reservas da folha para o fruto, e respectivamente para o grão. É o momento da formação final dos grãos de café, então se tudo acontecer de forma adequada e no tempo adequado, ele terá uma formação ideal e isso vai influenciar não só no melhor peso, mas em produtividade e também na qualidade desses grãos e da bebida”, finaliza.

Tecnologias

Os produtos da Alltech Crop Science utilizados na pesquisa foram o Bulk, que consiste em uma formulação à base de potássio e aminoácidos específicos, que auxilia na translocação dos carboidratos e uniformiza a maturação de maneira equilibrada; o Liqui-Plex Finish, feito à base de potássio de alta solubilidade complexado por aminoácidos livres e o Liqui-Plex Unix, uma solução composta por macro e micronutrientes balanceados que favorece o bom desenvolvimento das plantas.

Portaldoagronegocio.com.br