Conectado por
Governo de Rondônia

Mato Grosso

Perícia encontra remédios junto a alimentos e confirma que apartamento de Dr. Bumbum era usado para procedimentos

Publicado por

em


Continua após a publicidade

O laudo da inspeção feita na cobertura do médico Denis Furtado, conhecido como ‘Dr. Bumbum’, confirmou que o apartamento, localizado em um prédio na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, era utilizado para consultas e realização de procedimentos estéticos. O caso veio a tona após a morte da gerente bancária de Cuiabá, Lilian Calixto, que fez uma aplicação de PMMA com o acusado. No local, também foram encontrados remédios junto a alimentos dentro da geladeira.

A conclusão do laudo de inspeção aconteceu praticamente junto com a finalização do laudo da morte da gerente. Os peritos afirmam que encontraram vestígios de que o apartamento era usado pra consultas e procedimentos médicos estético.

Havia até medicamentos na geladeira dividindo espaço com alimentos. Como já mostrado anteriormente, os atendimentos eram feitos de forma improviso, em macas que ficavam nos apartamentos. A desculpa dada pelo Dr. Bumbum era que o consultório estaria em reforma.

O laudo da morte da bancária de Cuiabá apontou que ela morreu de embolia pulmonar – quando o fluxo sanguíneo do pulmão é interrompido. A mato-grossense foi a óbito em um hospital na Zona Oeste, horas depois de passar por um procedimento estético no apartamento do médico Denis Furtado, conhecido como ‘Dr. Bumbum’, no dia 15 de julho.

No documento, o perito usou o termo “embolia em chuveiro”, porque havia micro partículas espalhadas pelo pulmão, impedindo a oxigenação do sangue. Além disto, o laudo apontou quadro de choque, com falência de órgãos como fígado e rim.

Denis Furtado e sua mãe, Maria de Fátima Furtado, foram em um centro empresarial na Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio de Janeiro. Ele foi detido por policiais do 31º BPM (Barra da Tijuca) após receberem informações do Disque Denúncia.
 
Os dois estavam com mandado de prisão temporária expedido por 30 dias pelo homicídio da bancária Lílian Calixto, que morreu após procedimento estético realizado no apartamento de Denis.
 
O caso
 
Segundo fontes ouvidas pelo Olhar Direto, Lilian teria ido para o Rio de Janeiro fazer um preenchimento de glúteo com PMMA, no sábado (14), pela manhã. Primeiramente, a cirurgia estaria marcada para acontecer em Brasília, mas foi transferida em cima da hora para o Rio. Ela trocou a passagem e foi.
 
No sábado, após o procedimento, Lilian chegou a sair do local onde foi atendida para ir jantar. Logo depois, começou a passar mal e foi hospitalizada e sofreu um mal súbito. A hora da morte foi registrada às 2h da madrugada. No entanto, o Hospital teria ligado para o telefone do responsável – uma amiga, a única que sabia que ela faria o procedimento – só doze horas depois, às 14h deste domingo (15).
 
Lilian foi gerente do antigo HSBC e estava, agora, à frente das contas do banco Bradesco. Natural de Barra do Bugres, ela era muito conhecida na capital. Ela deixa dois filhos. Um rapaz de 25 anos, e uma menina de 13, além do marido
 
O Conselho Regional de Medicina (Cremerj) abriu procedimento para apurar o caso. Famoso nas redes sociais, o médico possui mais de 600 mil seguidores e ofertava procedimentos de estética no Rio, em São Paulo e em Brasília. Nas redes sociais, ele é conhecido como ‘Doutor Bumbum’, em alusão aos procedimentos que realizava.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *