Conectado por

Nacional

‘Pago R$ 140 mil de aluguel para motoboy sentar aqui?’, diz sócio de restaurante no DF ao discutir com entregador


Compartilhe:

Publicado por

em

Uma discussão entre um empresário e um motoboy em um shopping do Distrito Federal foi filmada e parou nas redes sociais. Durante a confusão, no sábado (17), o sócio do restaurante Abbraccio questionou o motivo de o entregador usar o espaço do ParkShopping para carregar o celular.

“Pago R$ 140 mil de aluguel para motoboy sentar aqui?”, disse o sócio durante a discussão.

O motociclista Everton Santos Silva contou à reportagem que estava em uma área do estabelecimento comercial chamada de “doca”. O espaço é usado como ponto de apoio por entregadores que aguardam os restaurantes finalizarem os pedidos.

Everton disse ainda que, no sábado, após 30 minutos de espera, um dos donos do restaurante – que aparece no vídeo – saiu com o pedido na mão e falou para o motoboy parar de destratar os funcionários do estabelecimento, dando início ao desentendimento.

O entregador afirmou que já havia reclamado do atraso na preparação dos pedidos da Abbraccio em outra ocasião.

“Ele começou a falar que não era pra usar a tomada e se exaltar. A gente se sente humilhado, né?”, comentou.

Everton contou também que não procurou a Polícia Civil e que desistiu de fazer a entrega. “Fiquei nervoso. Percebi que se eu tratasse ele da mesma forma que fui tratado, só iria aumentar a discussão”, relatou.

Em nota, a Bloomin’Brands, grupo detentor da marca Abbraccio, lamentou o ocorrido, disse que apura o caso e que afastou sócio, mas não detalhou a medida (veja íntegra do texto abaixo). O nome do empresário que aparece nas imagens não foi divulgado.

Registro em vídeo

Um outro motoboy que estava no local filmou a discussão. As imagens mostram que o sócio do restaurante disse que o entregador não poderia ir mais ao estabelecimento. “Na minha loja, você não pisa mais não”, afirmou.

O homem disse ainda que excluiu o motociclista da plataforma online usada para os entregadores trabalharem.

“Estou nesse shopping há 15 anos. Não vai chegar motoboy e achar que manda, não”, afirmou. Em outro momento, o sócio vai até um funcionário do complexo comercial e diz que “isso não pode acontecer”, se referindo a Everton carregar o próprio celular.

O outro entregador, que registrou o momento da discussão e preferiu não se identificar, disse que os colegas usam diariamente o local como ponto de apoio. De acordo com ele, o espaço do shopping tem tomadas e banheiros.

O que diz o shopping

Em nota, o ParkShopping confirmou que o espaço é usado por entregadores e também lamentou o ocorrido.

“Respeitamos todos os públicos e prezamos pela boa convivência e relacionamento cordial entre lojistas, colaboradores, prestadores de serviço, clientes e todos que circulam e trabalham no shopping”, diz comunicado.

O que diz o Abbraccio?

“Agradecemos a oportunidade de esclarecer o ocorrido. Nós, da Bloomin’ Brands, grupo detentor da marca Abbraccio, informamos que o que é retratado no vídeo não condiz com a nossa relação com os profissionais de entrega.

Lamentamos o ocorrido. Informamos também o sócio do restaurante foi afastado para que possamos apurar todos os pontos e refazer o processo de orientação do trabalho com os entregadores locais. Estamos no Brasil há 23 anos e temos um relacionamento genuíno com as nossas pessoas e os fornecedores que trabalham conosco.

Nada justifica o desalinhamento com nossos procedimentos e já iniciamos a reorientação de todo o time do restaurante em relação à nossa filosofia para que situações como esta não voltem a acontecer.

Para nós, é muito importante reforçar que temos uma relação de respeito e profissionalismo com todos os motoboys responsáveis pela logística do nosso delivery e isso se reflete no dia a dia com o atendimento de milhares de pedidos todos os meses em todas as cidades onde estamos presentes.”

 

 

G1.globo.com
Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento