Conectado por
Governo de Rondônia

Mato Grosso

Operação resgata 14 trabalhadores em situação análoga à escravidão em MT

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Uma operação realizada pelo Grupo de Fiscalização Rural da Superintendência Regional do Trabalho (SRTB) de Mato Grosso resgatou 14 trabalhadores em condições análogas a escravidão, entre segunda-feira (23) e esta sexta-feira (27), em Tangará da Serra, a 241 km de Cuiabá.

O resgate foi feito em uma propriedade rural que fica perto da zona urbana. Os trabalhadores de Mato Grosso e do Paraná eram submetidos a condições degradantes.

Aos fiscais, as vítimas disseram que foram recrutados em suas cidades de origem para trabalhar na construção de um aviário para a produção de aves de corte. Toda a produção tem como destinatário um grande frigorífico do estado.

Trabalhadores foram contratados para construir aviário — Foto: SRTB/ Divulgação

Trabalhadores foram contratados para construir aviário — Foto: SRTB/ Divulgação

Entre as irregularidades a equipe de fiscalização identificou um alojamento improvisado, montado pelos próprios trabalhadores, feito em madeirite, com cobertura parcial de amianto, sem condições básicas de segurança, vedação, higiene, privacidade ou conforto.

Ainda havia instalações sanitárias improvisadas e a inexistência de local adequado para o preparo e consumo das refeições.

Durante a operação, o patrão foi obrigado a formalizar os contratos de trabalho, a realizar anotação nas carteiras de trabalho e pagar a rescisão.

Os trabalhadores resgatados receberam o pagamento das verbas rescisórias perante os auditores-fiscais do Trabalho, no valor total de R$ 23.621,79 com o correspondente recolhimento de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço.

Além disso, os resgatados terão direito ao recebimento de três parcelas do seguro desemprego.

Os fiscais do trabalho contaram com a participação da Gerência de Operações Especiais da Polícia Civil de Mato Grosso nessa operação.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *