Conectado por

Saúde

O que são distúrbios do sono em idosos?


Compartilhe:

Publicado por

em

Nesse artigo focalizaremos principalmente as alterações da quantidade e continuidade de sono em função da idade. Os demais problemas do sono que podem afetar os idosos são aqueles que os acompanham desde mais cedo e são tratados em textos específicos (insônia, apneia do sono, pernas inquietas, desordens do ritmo circadiano, desordens do sono REM).

Há um pensamento muito comum de que conforme a idade aumenta, a necessidade de sono diminui. Pesquisas mostram que, em geral, os recém-nascidos precisam de 19-20 horas diárias de sono; aos 10 anos, 10 horas; os adolescentes, 8 horas; o adulto saudável precisa dormir 7,5 horas e idosos a partir de 60 anos, 6 horas.

Assim, os idosos dormem um sono mais curto, geralmente perturbado por fatores relacionados com a idade. À medida que envelhece, a pessoa vai perdendo a capacidade de manter um sono regular e tem um sono mais interrompido por despertares noturnos. Mas, ao contrário, o sono do idoso também pode tornar-se excessivo, inclusive durante o dia, devido a algum problema que precisa ser investigado:

  1. No idoso, é comum a deficiência de nutrientes importantes, levando, por exemplo, a problemas como a anemia, causando cansaço e sonolência.
  2. A depressão é muito comum no idoso, levando, às vezes, a um sono excessivo.
  3. Uso de medicamentos que causam sonolência como efeito colateral.
  4. Sono em excesso pode ser um indício da perda de capacidade mental e sintoma de condições neurológicas sérias, tais como demências, enfermidade de Alzheimer, doença de Parkinson, etc.

Como o envelhecimento afeta o sono em idosos?

O envelhecimento ocasiona modificações significativas no tecido e na fisiologia cerebrais, assim como no padrão emocional e social das pessoas. Isso tem repercussões sobre a arquitetura do sono. Também mudanças físicas e emocionais influenciam o dormir. Geralmente, o sono do idoso é interrompido por sintomas de doenças ou pela vontade frequente de urinar, etc.

O idoso muitas vezes tem que enfrentar certo grau de solidão, com repercussões sobre o sono: vive a proximidade da morte, boa parte dos seus amigos e familiares já morreram, sua vida social muitas vezes está limitada por sequelas ou incapacidades, tem de sentir sozinho dores e mal-estar, tem de submeter-se à ditadura dos remédios e das restrições alimentares, etc. Frequentemente experimenta depressões.

Além disso, com o envelhecimento começam a aparecer doenças que levam a distúrbios do sono e o dormir frequentemente é interrompido por dores, dificuldades respiratórias, etc.

Qual é o mecanismo fisiológico dos distúrbios do sono em idosos?

Em geral, após os 60 anos, o sono se torna mais superficial, a pessoa demora mais a adormecer, ocorrem mais interrupções durante a noite e o período de sono fica mais curto.

Supõe-se que essas coisas aconteçam porque a produção de melatonina (hormônio responsável pela regularização do sono) vai diminuindo com o envelhecimento. Uma pessoa de 60 anos possui a metade da melatonina de um indivíduo aos 20. Aos 70 anos, os níveis de melatonina podem chegar a serem nulos.

Contudo, há autores que consideram um equívoco que o sono precise diminuir com a idade. Alegam que algumas pesquisas demonstram que nossas necessidades de sono permanecem constantes durante toda a vida adulta.

Algumas medidas que podem melhorar o sono dos idosos

  1. Limitar a ingestão de líquidos antes de dormir pode diminuir a frequência do urinar noturno.
  2. Evitar o uso de substâncias excitantes, como cafeína e álcool, por exemplo.
  3. Fazer a última refeição três a quatro horas antes de dormir, para que a digestão se processe antes do sono.
  4. Não fazer exercícios físicos exaustivos ou executar tarefas “pesadas” antes de dormir.
  5. Tomar um banho morno antes de deitar, para relaxar.
  6. Evitar o uso de equipamentos eletrônicos na cama (televisão, celulares, etc).
  7. Deixar o quarto de dormir o mais confortável possível (temperatura cômoda, ausência de barulho e de luz, etc.). Usar travesseiro e colchão adequados e confortáveis.
  8. Expor-se ao sol com frequência para ajudar a regular o ciclo dia-noite.
  9. Estabelecer um horário fixo para dormir todas as noites e para acordar, mesmo aos finais de semana. Isso ajuda a regular o relógio biológico e fará você dormir e acordar com mais facilidade.
  10. Procure evitar dormir por muito tempo após o almoço. Tire um cochilo de no máximo meia hora para não atrapalhar o sono noturno.
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento