Conectado por

Economia

O que esperar da Black Friday depois do Prime Day e como fazer boas compras

Publicado por

em

Esta foi a 1º edição do evento no Brasil

Continua após a publicidade

De olho no público brasileiro que está fazendo cada vez mais compras on-line, a Amazon, maior e-commerce mundial, realizou este ano o 1º Prime Day no Brasil. O evento aconteceu entre os dias 13 e 14 de outubro aqui e em mais 18 países.

Como era esperado, a data de promoções superou as expectativas. No total, a varejista vendeu 60% mais do na edição de 2019. Além disso, no Brasil, as vendas no Prime Day superaram as realizadas na Black Friday do ano passado.

Diante desse sucesso, é possível já ter uma ideia do que vem pela frente no maior evento comercial do ano: a Black Friday que este ano será no dia 27 de novembro. Veja só! O que os brasileiros mais compraram no Prime Day?

A Amazon não concedeu descontos em categorias inteiras, mas em produtos específicos. Por isso, as compras feitas durante o evento podem refletir mais as oportunidades aproveitadas do que os desejos de compra.

De acordo com a empresa, os itens que mais saíram foram:  lâmpada inteligente, caneta marca texto de seis cores e um desinfetante. Quando se olha para os tipos de produtos mais vendidos, a lista fica assim:

  • Livros: Mais Esperto que o Diabo – Napoleon Hill;
  • Produtos próprios da Amazon: Kindle PaperWhite;
  • Casa e Cozinha: espátula de inox;
  • Bens de consumo: creme de assadura;
  • Entretenimento: jogo “The Last of Us Part 2”.

O que esperar da Black Friday de 2020?

De um lado, os consumidores estão ansiosos para ver quais promoções as marcas irão lançar. Este ano, especialmente, a expectativa pode ser maior do que em outras edições, já que, por conta da pandemia, vários produtos aumentaram de preço.

Quem esperou 2020 para trocar de notebook, por exemplo, foi surpreendido pelos preços mais altos. Por conta do home office, muitas pessoas buscaram comprar eletrônicos, o que fez com que os valores aumentassem.

Por outro lado, os comerciantes também esperam que a Black Friday reacenda o comércio que ficou estagnado nos últimos meses. Tanto as lojas presenciais quanto as digitais podem sair ganhando com este evento.

Como aproveitar as promoções da Black Friday com economia?

Em um momento tão incerto quanto 2020, a palavra mais importante tem sido economia. Porém, isso não significa necessariamente aproveitar várias promoções da Black Friday. O consumidor deve analisar bem o que deseja comprar para saber se vale mesmo a pena.

O primeiro passo é definir o que precisa e deseja para o evento. Quem precisa de um eletrônico, por exemplo, pode fazer a busca agora para ter uma ideia de preço médio e, se encontrar algo mais barato no evento, comprar.

Além disso, os consumidores só devem considerar os descontos anunciados nos próprios sites das empresas ou em sites especializados em divulgar promoções, como o Kimbino. O catálogo do Boticário é um dos que estão disponíveis no endereço, assim como os concorrentes Natura e Avon. Durante a Black Friday, há golpistas que criam páginas para anunciar descontos que não existem, por isso, é necessário que o consumidor fique atento.

Caso a compra seja realizada no meio virtual, o cuidado deve ser redobrado. Vale observar, ao menos, se o e-commerce tem certificado de segurança e boa reputação na internet. A preferência também deve ser por empresas já consolidadas, como as grandes varejistas ou que estão no mercado há mais tempo.

Considerando que o Amazon Day foi um sucesso, a expectativa é que a Black Friday também bata recordes. Os consumidores desejam preços mais baixos para voltarem às compras e os comerciantes querem movimentar o comércio. Agora é só esperar o dia 27 de novembro, enfim, chegar!

(Assessoria)