Conectado por

Saúde

O que é trombose: causas, sintomas, prevenção e tratamentos

Publicado por

em

O que é trombose?

Trombose é a formação de um coágulo de sangue dentro de algum vaso do corpo humano. Pode ser chamada de trombose venosa ou trombose arterial.

Continua após a publicidade

“É venosa quando o problema ocorre em uma veia (vaso que conduz o sangue para o coração) ou arterial quando acontece em uma artéria (vaso que leva o sangue que sai do coração)”, explica o cardiologista Flávio Cataldi, cardiologistada Rede de Hospitais São Camilo de São Paulo.

Segundo o especialista, a trombose venosa profunda e o tromboembolismo pulmonar (bloqueio da artéria do pulmão) têm uma taxa de mortalidade anual em pacientes idosos de 21 e 39%, respectivamente.

Os últimos dados do Sistema Único de Saúde (SUS) do Brasil apontam que mais de 36 mil pessoas passaram por tratamento clínico em decorrência de trombose. Já o Ministério da Saúde registra mais de 485 mil procedimentos de fisioterapia de pessoas se recuperando da condição.

Em razão de tudo isso, a trombose é uma doença que merece atenção. “No mundo, a trombose venosa profunda é responsável pela morte de cerca de um milhão de pessoas todos os anos”, revela Cataldi.

A trombose arterial não fica atrás. Ela também costuma ser mais grave do que se pensa, porque impede a chegada de oxigênio às células. Isso pode provocar necrose, ou morte tecidual, e até infarto.

O que causa a trombose?

A trombose venosa e a arterial possuem causas diferentes. A venosa profunda ocorre principalmente nos vasos nas pernas e pode levar à embolia pulmonar (ou bloqueio da artéria do pulmão) que, se não diagnosticada e tratada a tempo, pode levar a óbito.

Já a trombose arterial costuma acontecer mais como a chamada a trombose cerebral, conhecida popularmente como Acidente Vascular Cerebral (AVC). Ele ocorre quando existe uma obstrução de alguma artéria cerebral, o que normalmente leva a um infarto cerebral e também à morte.

Entretanto, este segundo tipo também pode acontecer nas pernas — e nestes casos é mais conhecida como gangrena. Outra região também propensa a ter trombose são as artérias que irrigam os intestinos.

Como principais causas para a doença, podemos citar:

  • Permanecer sentado por tempo prolongado ou com mobilidade restrita;
  • Pós-operatório de cirurgia (principalmente ortopédica ou de varizes);
  • Trombofilias (propensão genética);
  • Tabagismo;
  • Gravidez e pós parto;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Reposição hormonal;
  • Insuficiência cardíaca congestiva;
  • Quimioterapia;
  • Obesidade;
  • Neoplasias (crescimento anormal de células);
  • Aterosclerótica (chamada de aterosclerose, caracterizada pela formação de placas de gordura e tecido fibroso nas artérias);
  • Envelhecimento das artérias acelerado pela hipertensão;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto;
  • Uso de anticoncepcionais;
  • Varizes;
  • Cirurgias.

Como identificar os sintomas?

Os principais sinais da trombose são o inchaço com endurecimento da panturrilha, palidez, cianose (cor azulada), veias superficiais dilatadas e aumento da circunferência medida da perna afetada, entre outros. Entre os principais sintomas, estão a dor local e a dificuldade de locomoção.

Para identificar se o paciente está mesmo com trombose, é necessário realizar alguns exames. O principal deles é a ultrassonografia com doppler. Ela avalia e identifica a presença de possíveis coágulos.

“Outro exame utilizado é a dosagem sanguínea do dímero D, um teste de triagem que, se negativo, praticamente exclui a hipótese de tromboembolismo. Mas, se positivo, é necessário fazer a confirmação por outros exames radiológicos”, aponta o cardiologista.

Como prevenir a trombose?

  • Praticar exercícios físicos regularmente;
  • Procurar se movimentar e evitar ficar muitas horas sentado;
  • Manter uma dieta equilibrada e controle do peso;
  • Alimentação saudável rica em frutas, verduras e leguminosas;
  • Pessoas com antecedente de trombose e varizes devem ser orientados a usar meias de compressão;
  • Pacientes operados devem procurar deambular o mais precoce possível;
  • Deixar de fumar;
  • Controle adequado da pressão arterial;
  • Controle rigoroso do diabetes quando presente;
  • Realizar exames periódicos dos níveis sanguíneos de colesterol e triglicérides.

Quais tratamentos estão disponíveis?

O tratamento da trombose venosa profunda deve ser realizado em ambiente hospitalar. É realizada a administração de anticoagulantes por via endovenosa ou subcutânea.

Esses medicamentos ajudam a reduzir a viscosidade do sangue, dissolver o coágulo, prevenir a ocorrência de embolia pulmonar e evitar a formação de um novos trombos.

Utiliza-se também meias elásticas de compressão em alguns casos. E após esta fase inicial de tratamento, ocorrendo melhora, há também opções de anticoagulantes para uso oral que deverá ser utilizado por um período prolongado.