Conectado por

Featured

O que é distúrbio do processamento auditivo central?


Compartilhe:

Publicado por

em

O distúrbio do processamento auditivo é um termo abrangente para uma variedade de distúrbios que afetam a forma como o cérebro processa as informações auditivas. Os indivíduos com esse distúrbio geralmente têm estrutura e função normais do ouvido externo, médio e interno, responsáveis pela audição periférica, mas não conseguem processar a nível do sistema nervoso central as informações que ouvem da mesma maneira que os outros, o que leva a dificuldades em reconhecer e interpretar sons, especialmente os sons que compõem as conversas.

O distúrbio do processamento auditivo afeta cerca de 5% das crianças em idade escolar. Acredita-se que as crianças com distúrbio do processamento auditivo ouçam normalmente porque podem ouvir sons que são transmitidos um de cada vez, em um ambiente silencioso. O problema é que eles não reconhecem pequenas diferenças entre sons em palavras, por exemplo, mesmo quando os sons são altos e claros o suficiente para serem ouvidos.

Esse tipo de problema acontece quando há ruído de fundo, o que é frequentemente o caso em situações sociais, inclusive em salas de aula. Assim, as crianças com distúrbio do processamento auditivo podem ter dificuldade em entender o que está sendo dito quando estão em lugares barulhentos.

Quais são as causas dos distúrbios do processamento auditivo central?

Muitas vezes, a causa do distúrbio do processamento auditivo de uma criança permanece desconhecida. Evidências sugerem que o problema se deve a traumatismo craniano, envenenamento por chumbo ou infecções crônicas do ouvido. Às vezes, pode também haver mais de uma causa associada. Entre as causas encontram-se determinantes genéticos, desordens e lesões neurológicas, exposição a neurotoxinas, anóxia/hipóxia ou hiperbilirrubinemia no nascimento, prematuridade e exposição pré-natal a certos medicamentos.

Quais são as principais características clínicas dos distúrbios do processamento auditivo central?

Os sintomas do distúrbio do processamento auditivo podem variar de leves a graves e podem assumir muitas formas diferentes. A criança com o problema se distrai facilmente, sente-se incomodada por ruídos altos ou repentinos, fica perturbada por ambientes ruidosos e é acalmada por ambientes mais silenciosos, tem dificuldade em seguir instruções simples, tem dificuldades de leitura, ortografia, escrita ou outras dificuldades de linguagem, os problemas de matemática verbal (falada) são difíceis para ela e também tem dificuldades para seguir as conversas.

O distúrbio do processamento auditivo frequentemente é mal-entendido, porque muitos dos comportamentos descritos acima também podem acompanhar outras situações, como dificuldades de aprendizado, transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e até depressão. Só a observação a longo tempo permite diferenciar entre essas condições.

Como diagnosticar os distúrbios do processamento auditivo central?

O diagnóstico precoce do distúrbio do processamento auditivo é importante porque, se não é detectado e tratado precocemente, a criança pode ter atrasos na fala e na linguagem ou problemas na aprendizagem escolar. O problema pode ser diagnosticado pelas dificuldades em um ou mais processos auditivos conhecidos. Se a criança estiver tendo problemas para entender quando as pessoas falam ela deve ser examinada por um audiologista, que levará em conta:

  1. Problemas de figura-fundo auditivos, que é quando a criança não pode prestar atenção se houver ruído de fundo.
  2. Problemas de memória auditiva, quando a criança tem dificuldade em lembrar informações como instruções, listas ou materiais de estudo.
  3. Problemas de discriminação auditiva, quando uma criança tem dificuldade em ouvir a diferença entre palavras ou sons semelhantes.
  4. Problemas de atenção auditiva, quando uma criança não consegue ficar concentrada em ouvir o tempo suficiente para completar uma tarefa ou exigência.
  5. Problemas de coesão auditiva, em que tarefas auditivas de alto nível são difíceis.

Uma vez que a maioria dos testes feitos para verificar se há distúrbio do processamento auditivo exige que a criança tenha pelo menos 7 ou 8 anos de idade, muitas crianças não são diagnosticadas até então ou depois dessas idades.

Como ajudar as pessoas com o distúrbio do processamento auditivo central?

Embora não haja cura conhecida, a terapia fonoaudiológica e os dispositivos de escuta assistencial podem ajudar as crianças a compreender os sons e desenvolver boas habilidades de comunicação. O sistema de modulação de frequência é um dispositivo auxiliar de audição que reduz o ruído de fundo e torna a voz do falante mais alta para que uma criança possa entendê-lo. A terapia contínua com um fonoaudiólogo ajudará a criança a desenvolver habilidades de fala e audição.

Em casa, deve-se reduzir o ruído de fundo sempre que possível; os adultos devem pedir à criança que olhe para quem esteja falando; as pessoas devem usar frases simples e expressivas e falar de modo ligeiramente mais lento e mais alto; para tarefas que devem ser concluídas mais tarde, escrever notas, usar um relógio ou manter uma rotina doméstica pode ajudar. Outras dicas úteis: fornecer à criança um local de estudo tranquilo; manter um estilo de vida organizado e pacífico e atribuir tarefas regulares e realistas.

Na escola, informe aos professores e outros funcionários da escola sobre o distúrbio do processamento auditivo e como isso pode afetar o aprendizado. Procure fazer com que a criança possa se sentar na frente da sala de aula, de costas para a janela, faça-a portar um gravador ou tomar notas que possam ser vistas online e mantenha contatos regulares com os professores sobre o progresso da criança. Os pais e professores devem reconhecer que o distúrbio do processamento auditivo não é algo que a criança pode controlar.

Como evoluem os distúrbios do processamento auditivo central?

O sistema auditivo de uma criança não está totalmente desenvolvido até os 15 anos. Assim, muitas crianças diagnosticadas com distúrbio do processamento auditivo podem desenvolver melhores habilidades ao longo do tempo à medida que seu sistema auditivo amadurece. Com a terapia certa, essas crianças podem ter sucesso na escola e na vida.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *