Conectado por

Saúde

O cérebro multitarefas: Como ter performance na quarentena

Publicado por

em

Os impactos decorrentes da crise do coronavírus permanecem até hoje; houve mudanças significativas na economia, nas relações pessoais, no trabalho… E muitos brasileiros tiveram que se readaptar e começar a tirar planos do papel, como investir em um novo negócio, por exemplo.

Continua após a publicidade

De acordo com dados do Portal do Empreendedor, foram registrados cerca de 10 milhões de novos microempreendedores individuais, desde o início da pandemia.

Sabemos que tomar decisões que mudam a vida completamente não é fácil: conciliar a família, a nova realidade de trabalho, traçar estratégias, estudar e se especializar em uma nova área, lidar com a insegurança emocional… Tudo é desafiador. Para isso, é preciso ter um cérebro preparado a fim de lidar com os desafios do dia a dia.

Engana-se quem pensa que apenas os idosos precisam cuidar do cérebro. De acordo com Solange Jacob, diretora acadêmica do Método SUPERA – rede de escolas de ginástica para o cérbero – são inúmeras as vantagens de exercitar a mente: “ Otimizar a funcionalidade do cérebro é importante em qualquer idade, pois gera impactos no funcionamento executivo da mente, ampliando a capacidade de gerir situações estressantes, ter foco e boa atenção sustentada para evitar distrações, ter persistência na execução de planos de ação, flexibilidade mental, boa organização e planejamento, alta capacidade de resolver problemas, habilidade na regulação emocional e de ter sucesso em cada momento da vida, pessoalmente e profissionalmente, no século 21”.

Sabemos que essa otimização do cérebro é possível graças ao conceito de neuroplasticidade cerebral.

Segundo a neurociência, o cérebro tem a capacidade de se modificar e desenvolver sua rede neural a partir de estímulos externos. Basicamente, quando saímos da nossa zona de conforto, treinamos habilidades como memória, atenção, foco, concentração, criatividade, capacidade de tomar decisões e elaborar estratégias e etc.

Este foi o caso de Denis Cassaroto, de 32 anos. Desde que passou a frequentar as aulas de ginástica para o cérebro do SUPERA em São Caetano do Sul (SP), tem conseguido se destacar profissionalmente:  “A ginástica cerebral me ajudou muito, tanto na vida profissional quanto pessoal. Sou analista de sistemas e isso requer muita atenção, concentração e raciocínio rápido. Sinto que desenvolvi essas habilidades e estou colhendo bons resultados no trabalho. Além de me ajudar a lidar com questões pessoais”, diz ele.

As aulas de ginástica para o cérebro trabalham com os princípios de novidade, variedade e desafio crescente. “O que fazemos, a variedade e a complexidade crescente do que fazemos em cada etapa da vida tem um impacto sobre a funcionamento do cérebro mais tarde. A forma como você trata seu cérebro hoje pode afetar seus anos de saúde mental e capacidade apara o agora”, diz Solange Jacob.

No Método SUPERA, primeira rede de escolas de ginástica para o cérebro do Brasil, a metodologia é divertida e inovadora; alunos de todas as idades treinam o cérebro com ferramentas cognitivas, como o ábaco, jogos de tabuleiro, jogos online, livros com exercícios cognitivos, dinâmicas e neuróbicas. As crianças melhoram as notas na escola, adultos garantem maior performance profissional e idosos conquistam saúde mental e qualidade de vida.

Para aqueles que querem treinar o cérebro e garantir resultados na rotina multitarefa, trazemos algumas dicas de neuróbicas. São atividades do cotidiano, praticadas de um jeito diferente, de forma a tirar o cérebro da zona de conforto. Confira:

  • Ande pela casa de trás para frente
  • Vista-se de olhos fechados;
  • Tome banho no escuro ou inverta a ordem;
  • Veja as horas num espelho
  • Use o relógio de pulso no braço direito (ou no braço esquerdo, se for canhoto)
  • Monte um quebra-cabeça e tente encaixar as peças corretas o mais rapidamente que conseguir, cronometrando o tempo.
  • Experimente memorizar aquilo que precisa comprar no supermercado ao invés de elaborar uma lista quando precisar fazer compras.
  • Ouça as notícias na rádio ou na televisão quando acordar. Durante o dia, escreva os pontos principais de que se lembrar.
  • Ao ler uma palavra, pense em outras cinco que comecem com a mesma letra.
  • Escove os dentes ou escreva em uma folha de papel com a mão contrária da de costume

FONTE:ASSESSORIA