Conectado por

Saúde

No inverno, saiba como diferenciar crise de asma, bronquite ou Covid-19

Publicado por

em

É preciso se atentar aos sintomas para realizar um diagnóstico adequado (Imagem: Freepik)
Durante o inverno, como saber diferenciar crise de asma, bronquite ou se contraiu o novo Coronavírus? Em meio à pandemia da Covid-19, as temperaturas baixas fazem com que muitas pessoas fiquem em ambientes fechados e sem ventilação adequada, o que pode contribuir para o agravamento de problemas respiratórios. A baixa umidade do ar também auxilia na concentração de poluentes e favorece a piora de quadros crônicos, como a asma, bronquite e a Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica (DPOC). (Veja em quadro abaixo como diferenciar os sintomas).

Continua após a publicidade

De acordo com a Dra. Maria Vera Cruz de Oliveira, diretora do Serviço de Pneumologia do Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo (HSPE), é importante diferenciar cada uma das doenças. “A asma se caracteriza por episódios de broncoespasmos (chiados no peito) recorrentes e com frequência variável. A bronquite crônica causa tosse produtiva por períodos prolongados devido à inflamação dos brônquios. A DPOC é mais comum em fumantes e se caracteriza por dispneia (falta de ar), tosse, entre outros sintomas. Já os sintomas da Covid-19 podem incluir febre, sinais gripais, diarreia, perda do olfato e paladar, dores musculares, além de falta de ar, tosse e fraqueza”, afirma a pneumologista.

Todas as doenças crônicas respiratórias fazem parte do grupo de risco para o novo Coronavírus. Estes pacientes têm mais riscos de evoluir para as formas mais graves da Covid-19, com necessidade de ventilação mecânica, uso de oxigenoterapia domiciliar, internações prolongadas e muitas vezes podem evoluir para óbito.

É importante que os asmáticos e os que sofrem com bronquite ou DPOC não interrompam os medicamentos que usam habitualmente e procurem um pronto atendimento caso percebam piora da doença durante a pandemia da Covid-19. “O paciente que não conseguir controlar os sintomas em casa, com inalações e uso de broncodilatador de resgate, ou apresentar sintomas gripais que se agravem com febre alta persistente e falta de ar aguda, deve buscar atendimento de emergência. Quanto mais rápido o quadro for controlado, mais fácil será a recuperação”, destaca a Dra. Maria Vera .

Ao precisar de um serviço de emergência, vale destacar que o paciente deve tomar todos os cuidados recomendados pelos órgãos de saúde, como o uso de máscaras, higienização das mãos e, principalmente, manter o distanciamento social no ambiente hospitalar.

Confira as principais diferenças de sintomas de cada doença e saiba quando procurar um atendimento de urgência:

Sobre o Iamspe
O Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual de São Paulo (Iamspe) é o sistema de saúde do servidor público estadual. Com uma rede de assistência própria e credenciada presente em mais de 100 municípios, o Iamspe oferece atendimento a 1,3 milhão de pessoas, entre funcionários públicos estaduais e seus dependentes. São mais de duas mil opções de atendimento no Estado, incluindo hospitais, clínicas de fisioterapia, médicos e laboratórios de análises clínicas e de imagem, além de postos de atendimentos próprios no interior, os Ceamas, e o Hospital do Servidor Público Estadual, na Capital. O Iamspe é um órgão do Governo do Estado de São Paulo, vinculado à Secretaria de Projetos, Orçamento e Gestão.

ASSESSORIA