Conectado por

Featured

“Não pretendo, não desejo e não disputarei”, afirma Blairo Maggi

Publicado por

em

O ex-ministro da Agricultura Blairo Maggi publicou um vídeo em suas redes sociais na tarde desta quinta-feira (19) para negar qualquer intenção em concorrer a uma vaga ao Senado, caso ocorram eleições suplementares em Mato Grosso.

A coluna Radar, da Veja Online, publicou uma nota dando conta de que Blairo não só estaria acompanhado o processo de cassação da senadora Selma Arruda (Podemos), como já articulando uma chapa para a eventual disputa.

Segundo a revista, Carlos Fávaro (PSD) e Adilton Sachetti (PRB) completariam a composição.

“Tem surgido na imprensa e hoje até a Veja acabou divulgando que eu estaria me preparando para uma eleição ou suposta eleição suplementar que pode ter em Mato Grosso. Quero dizer a vocês que não pretendo, não quero, não desejo e não disputarei nenhum cargo eletivo”, disse Blairo, em trecho do vídeo.

Na gravação, ele reiterou que, desde o final de 2017, comunicou a seus aliados que sairia da disputa política de forma definitiva.

“Às vezes as pessoas ficam fazendo seus projetos baseados em outros… Quero deixar muito claro que não participarei desse pleito eleitoral”, encerrou o ex-governador.

Desde que deixou o Ministério da Agricultura – ao final do Governo Michel Temer (MDB) – Blairo tem se dedicado às atividades empresariais.

Nos últimos dias, por exemplo, ele estava no Vale do Silício, nos Estados Unidos, conhecendo inovações tecnológicas no ramo da alimentação.

Ele, inclusive, tem registrado algumas dessas experiências em suas redes sociais.

Possível eleição

Uma nova eleição ao Senado pode ocorrer caso o Tribunal Superior Eleitoral mantenha a cassação da senadora Selma Arruda.

Na última semana, a então procuradora-geral da República Raquel Dodge se posicionou favoravelmente à cassação do mandato de Selma e à realização de novas eleições para o cargo em Mato Grosso.

Selma é acusada de abuso do poder econômico e caixa 2 durante a campanha eleitoral de 2018. A ação ainda será analisada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 
Veja vídeo publicado pelo ex-governador: