Conectado por

Geral

‘Não consigo dormir’, diz ambientalista que votou contra barragem


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

Maria Teresa Corujo foi a única pessoa a votar contra a ampliação das atividades na região do rio Paraopeba, que inclui a mina Córrego do Feijão, operada pela Vale.

A ambientalista Maria Teresa Corujo, de 59 anos, disse ao UOL que não consegue dormir direito desde que a barragem da Mina do Feijão se rompeu, na última sexta-feira (25).

“Não consigo dormir. Fico pensando nas pessoas soterradas”, afirmou ela, que é angolana de nascimento, mas vive em Belo Horizonte desde 1997.

Maria Teresa atua na defesa de comunidades afetadas pela atividade mineral no estado há quase vinte anos. Em dezembro de 2018, ela foi a única integrante do CMI (Câmara de Atividades Minerárias) do Copam (Conselho Estadual de Política Ambiental) de Minas Gerais a votar contra a ampliação das atividades na região do rio Paraopeba, que inclui a mina Córrego do Feijão, operada pela Vale.

Segundo o UOL, seu voto solitário não impediu a aprovação do licenciamento.

A ambientalista disse que as empresas que atuam na região “escolheram” não aprender as lições deixadas pela tragédia em Mariana (MG), que causou a morte de 19 pessoas. “Não é nem uma questão de ter aprendido ou não. Eles escolheram de forma muita consciente não fazer o que tem que ser feito”, afirmou.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

9 + seis =

Publicidade
CRÉDITO JÁ - EMPRÉSTIMOS
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento