Conectado por

Mato Grosso

MT : PM foi espancado após usar o banheiro e não fechar a porta


Compartilhe:

Publicado por

em

Os dois homens que espancaram até a morte o soldado da Polícia Militar Roberto Rodrigues de Souza, de 31 anos, no dia 26 de julho em Várzea Grande, confessaram a autoria do crime. Segundo eles, a confusão começou porque o PM não queria fechar a porta do banheiro enquanto fazia suas necessidades.

Na tarde desta quinta-feira (5), os delegados Olímpio da Cunha Fernandes Junior e Fausto Freitas – responsáveis pela investigação – deram detalhes sobre o caso.

Os suspeitos Wesdra Victor Galvão, de 29 anos, e Alan Patrick Schuller, de 27, se entregaram na noite de quarta-feira (4) na Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), em Cuiabá.

A discussão, que culminaria na morte do policial militar, teria começado dentro do banheiro. A dupla alegou que a vítima não quis fechar a porta enquanto usava o sanitário.

Um deles, que estava acompanhado da namorada, teria se irritado com a atitude pela possibilidade da acompanhante presenciar alguma cena indesejada.

De acordo com o delegado, o inquérito está em fase de finalização, com poucos pontos a serem encaixados.

Os dois homens responderão por homicídio qualificado, uma vez que a vítima foi agredida sem possibilidade de defesa – como mostram as imagens. A dupla pode ser condenada a entre 12 e 30 anos de prisão.

Eles foram interrogados e passaram por audiência de custódia, mas possivelmente, segundo o delegado, vão responder ao crime na Penitenciária Central do Estado.

Os dois alegaram que não tiveram a intenção matar o policial e que também não sabiam a sua identidade.

Após cometerem o crime, eles teriam ido para casa e somente no dia seguinte, após ver a repercussão do caso, fugiram, temendo represálias.

Segundo o delegado, no entanto, as imagens falam por si. “A Polícia Civil se baseia nos fatos. […] Pelo que nós notamos, houve sim uma iniciativa de tentativa de agressão que foi revidada com excesso”, disse o delegado Olímpio.

As mulheres que estavam com os agressores não foram indiciadas, e até o momento são tidas como testemunhas, uma vez que as imagens provam que elas tentaram separar a briga.

Relembre o caso 

O crime aconteceu em 26 de julho deste ano, após Roberto se desentender com outros dois homens em uma distribuidora de bebidas de Várzea Grande.

O caso chocou pela brutalidade das agressões – registradas pelas câmeras de segurança do estabelecimento.

Houve uma discussão no banheiro, momento em que Roberto tentou acertar um soco em um dos homens, mas errou o golpe. Em seguida, a vítima foi agredida e derrubada no chão.

As imagens seguintes são extremamente fortes e flagraram a dupla espancando Roberto com socos, chutes e até com uma cadeira. A maioria dos golpes acertou a cabeça.

Após cometerem o crime, a dupla – que estava acompanhada de duas mulheres – fugiu.

No dia seguinte, cinco homens foram presos durante a madrugada em Nossa Senhora do Livramento, pela acusação de auxiliar na fuga dos dois agressores que espancaram até a morte o policial.

Midianews.com.br

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento