Conectado por

Acre

Mesmo com 56 mortes no 1º trimestre, nº de homicídios em Rio Branco reduz em mais de 10%


Compartilhe:

Publicado por

em

Quase 60 pessoas foram assassinadas em Rio Branco nos primeiros 90 dias de 2019. Os dados compõem um relatório de Observatório de Análise Criminal do Ministério Público do Acre (MP-AC), divulgado pela Secretaria de Justiça e Segurança Pública (Sejusp).

Foram, ao todo, 56 pessoas mortas de forma violenta na capital acreana entre 1º de janeiro e 29 de março deste ano.

Apesar do número, os dados apontam uma redução de 11,11% no total de homicídios em Rio Branco entre 2018 e 2019. Entre 1º de janeiro a 29 de março de 2018 morreram 63 pessoas de forma violenta na capital do Acre.

O balanço traz o número de casos registrados nas cinco regionais de Rio Branco. Houve aumento nas segunda e quinta regionais da cidade. Em 2018, 21 pessoas foram assassinadas na segunda regional, que é composta pelos bairros do Segundo Distrito de Rio Branco. Já esse ano, o número subiu para 28, representando um aumento de 33,33%.

A outra regional que aumentou o número de mortes foi a quinta. Os registros subiram de sete para 11, com uma elevação de 57,14%.

Secretário Paulo Cézar Rocha falou sobre as ações da polícia para continuar reduzindo o número de mortes no Acre — Foto: Assessoria

Secretário Paulo Cézar Rocha falou sobre as ações da polícia para continuar reduzindo o número de mortes no Acre — Foto: Assessoria

Ações da polícia

O responsável pela Sejusp, coronel Paulo Cézar Santos, falou que o policiamento tem sido reforçado na região da Avenida Amadeo Barbosa, onde houve um aumento nos crimes.

“É naquele espaço que temos a maior incidência de crimes. Nos últimos 15 dias temos uma maior presença de policiais na região”, pontuou.

Sobre a redução nos números gerais, o coronel reforçou que são resultados dos trabalhos de fortalecimento do policiamento agregado com a análise criminal. Além disso, ele garantiu que a Segurança tem garantido um reforço maior nos presídios do estado, no que chamou de retomada da ordem no ambiente carcerário.

“São ações correntes que estão sendo colocadas em prática e passam também maior pela disciplina no ambiente carcerário, principalmente no interior onde já conseguimos implantar a proposta de retornada do ambiente carcerário. Temos essas ferramentas no sentido de empregar o policial e ações da Polícia Civil nos locais onde há maior incidência de crime”, reforçou.

Sejusp afirma que tem reforçado o policiamento em locais com maiores incidências de crimes — Foto: Quésia Melo/G1

Sejusp afirma que tem reforçado o policiamento em locais com maiores incidências de crimes — Foto: Quésia Melo/G1

Estado

Ainda segundo o estudo do MP-AC, houve redução de 25,68% nos números de mortes registradas em todo estado. Entre janeiro e março de 2018, morreram 109 pessoas de forma violenta. Esse número caiu para 81 no mesmo período de 2019.

Porém, o mesmo levantamento mostra que houve aumento nos crimes na região da fronteira. O número de mortes na regional do Alto Acre saiu de um, em 2018, para três até março deste ano.

O secretário da Sejusp explicou que aconteceram casos pontuais na fronteira envolvendo chacinas com motivação passional, que resultaram nesse aumento.

“Existem delitos que temos a possibilidade de, através das estratégias, nos antecipar. Não que não vá ocorrer, mas prevemos que naquele local, que há registros de atentados, ameaças, lesão corporal, podem levar a um homicídio. Mas, temos crimes também, principalmente os passionais, que há registro anterior em relação a violência familiar. A gente acompanha, mas tem crimes inter-familiares que não temos domínio”, confirmou.

Santos complementou falando sobre as regiões do estado que mais preocupam a Segurança Pública. “O que preocupa hoje e tem chamado atenção é a capital, tendo em vista que temos duas regionais que apresentaram aumento, e no interior é a fronteira. Temos que ter um olhar maior para esse lugares”, concluiu.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *