Conectado por

Featured

Mato Grosso terá reforço de mais de 3,2 mil policiais


Compartilhe:

Publicado por

em

O primeiro e o segundo turno das eleições 2018 em Mato Grosso vão contar com reforço no policiamento. Ao todo, serão 3.286 agentes de segurança pública do Estado que estarão envolvidos no processo eleitoral. Do total, 2.299 são policiais militares (PM) e 987 civis (PC), conforme informações da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Sesp/MT).

“Entenda-se esse número como extra porque além disso teremos o serviço diário de todas as instituições. Então, teremos mais de 3 mil profissionais trabalhando a mais no dia da eleição”, afiançou o secretário adjunto de Integração Operacional da Sesp, coronel Jonildo José de Assis.

Conforme Assis, o planejamento operacional para as eleições vem sendo elaborado há cerca de três meses para garantir a segurança e a tranquilidade dos eleitores mato-grossenses de forma que possam exercer o direito à cidadania, que é o voto. “Desde de julho deste ano estamos realizando esse planejamento. Já tivemos várias reuniões periódicas no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MT) onde foi instalado o Gabinete de Gestão Integrada (GGI Eleições) congregando todas as forças de segurança estadual e federal no intuito de planejar a atuação conjunta nesta eleição 2018”, informou.

Uma das medidas, inclusive, será instalar no dia da eleição, o Gabinete de Crise na Sesp, para o caso de ocorrer algum fato grave ou de emergência e que exija das autoridades decisões imediatas ou de forma mais rápida.

De acordo com o coronel, os policiais estarão atentos ao cumprimento do que a legislação eleitoral determina. “Os crimes eleitorais vão ser combatidos dentro da competência de cada força de segurança e nós estaremos policiando as zonas eleitorais normalmente”, reforçou.

Além das forças estaduais, o GGI do TRE/MT congrega instituições como a Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e municipais, como Guarda Municipal e de Trânsito, bem como determinadas empresas privadas, como Energisa e de telefonia, que indiretamente também têm participação no processo eleitoral.

Até o momento, segundo a Sesp, não foram detectados movimentos ou qualquer articulação suspeita que pudesse preocupar o setor de segurança pública, no Estado, que conta com um sistema de inteligência composto por uma rede de agências de inteligência e formado por órgãos da segurança estadual que vem monitorando e produzindo os conhecimentos correlatos à segurança nas eleições. “Não temos reportado nenhuma questão de ameaça grave ao pleito eleitoral deste ano até o momento. Mas estamos atentos e produzindo conhecimento a respeito”, afiançou.

Quanto à área de fronteira, ele explica que o Estado conta com duas grandes regiões integradas de segurança pública (ao todo a faixa compreende cinco regiões de fronteira), mas as mais próximas são a Cáceres e Pontes e Lacerda. “Nessas regiões estamos de prontidão e as agências de inteligência também estão e estarão monitorando todo movimento correlato à eleição. Temos também um Grupo Especial de Segurança de Fronteira, que reforça e apoia essas regiões integradas”, frisou.

Com isso, a expectativa é que as eleições ocorram de forma tranquila em todo o território mato-grossense. “Orientamos ao eleitor que vá às urnas, que exerça o seu direito ao voto por que a Polícia Militar vai estar totalmente empenhada na segurança ostensiva na eleição. Então, que os eleitores busquem exercer o seu voto dentro da legalidade e da cidadania e que procurem não infringir as leis eleitorais por que os nossos agentes estarão atentos às possíveis irregularidades”, alertou.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento