Conectado por

Nacional

Mais de 30% da população convive com dor crônica no Brasil

Publicado por

em

A dor tem sido companheira diária de muitos brasileiros e aparece em diversas áreas do corpo, podendo se tornar crônica após três meses do início. De acordo com a Sociedade Brasileira de Estudos da Dor (SBED), ao menos 37% da população brasileira, cerca de 60 milhões de pessoas, relatam sentir dor de forma crônica.

Continua após a publicidade

Entre as dores mais comuns destacam-se a dor nos joelhos, ombros, nervo ciático e lombar; popularmente conhecida como dor nas costas; responsável por mais 10,54% dos afastamentos do trabalho e pedido de entrada no benefício do INSS. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 80% dos adultos irão sofrer pelo menos uma crise aguda de dor nas costas durante a vida, sendo que 90% das pessoas poderão ter mais de uma vez.  Abaixo o angiologista e cirurgião vascular especializado em LEDterapia muscular, Dr. Álvaro Pereira esclarece as principais dúvidas sobre a doença e formas de tratamento.

Quando uma dor é considerada crônica? Qual a diferença entre a dor aguda e a crônica?

No ramo da medicina, a dor é considerada crônica quando perdura por muito tempo, meses e até anos, sem que haja um sentido biológico para que isso aconteça. Ela pode ser contínua; fazer parte da rotina dos pacientes por longos períodos sem interrupção, ou intermitente; com ciclos que terminam, mas logo reiniciam. É valido lembrar que fatores psicológicos e ambientais vivenciados pelo paciente também podem piorar o quadro.  Diferente da dor aguda, que a pessoa sente assim que sofre uma lesão, aparecendo como um sinal que o corpo acabou de passar um trauma físico, por exemplo, ao quebrar um osso, cortar o dedo ou cair da escada. Geralmente, uma vez que a lesão cura, a dor para.

Quais são os sintomas da dor crônica?

Fadiga, que pode causar impaciência e falta de motivação; Problemas para dormir, geralmente porque a dor o mantém acordado durante a noite; Dificuldade em se manter ativo e uma necessidade crescente de descansar; um sistema imunológico enfraquecido, levando a infecções ou doenças frequentes; mau humor e sentimentos como desesperança, medo, ansiedade e estresse; dificuldade de locomoção, que pode incluir não poder ir ao trabalho ou realizar outras atividades diárias.

Quais as formas de tratamento

Medicamentos: Vão desde analgésicos comuns, anti-inflamatórios, relaxantes musculares, alguns anticonvulsivantes, antidepressivos e até morfina em casos mais extremos de dor.

Exercícios físicos: Manter o corpo ativo é uma das opções para fortalecer o organismo e ajudar na melhora da movimentação e combate à dor. É válido lembrar que os exercícios precisam ser adaptados de acordo com a  condição de cada paciente.

Fisioterapia e terapia ocupacional: Existem várias terapias que podem ser sugeridas por um fisioterapeuta ou terapeuta ocupacional para ajudar a aliviar a dor crônica. Terapia de correção de postura, compressas frias ou de calor , massagem e outras técnicas usadas pelos fisioterapeutas também podem ajudar, mas não são uma solução a longo prazo para o tratamento da dor.Um terapeuta ocupacional pode ajudar, fazendo sugestões sobre como concluir tarefas em casa ou no trabalho difíceis devido à dor crônica.

Acupuntura: Essa técnica milenar tem a finalidade de liberar hormônios e neurotransmissores analgésicos, que possuem ação anti-inflamatória e relaxante para os músculos.

 

LEDterapia: tratamento revolucionário, não medicamentoso, realizado com mantas de LED Sportllux que emitem radiação NIR (vermelho e infravermelho curto). De acordo com vários estudos publicados, esta terapia tem se mostrado altamente benéfica no tratamento da dor crônica. As luzes do LED entram no tecido muscular e interagem com o complexo do citocromo c nas mitocôndrias. Essa interação leva ao aumento do metabolismo celular e à diminuição da dor e da inflamação. Ao contrário dos medicamentos, a terapia com uso de LED reduz a dor sem efeitos colaterais indesejáveis.

Dr. Álvaro Pereira – Angiologista formado pela FMUSP em 1978, com residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Especialista em oferecer tratamentos com LEDterapia para a recuperação da musculatura pós esforço físico. Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado no B&H Hospital – Harvard.

Cosmedical 
Empresa especializada em oferecer tratamentos seguros e inovadores aos seus clientes, desde terapia capilar à recuperação de musculatura pós esforço físico com o intuito de promover qualidade de vida, sem dor e sem esforço, tudo ao toque de um botão. Atuando com a alta tecnologia e a eficácia da fotobiomodulação por meio de LEDs, a empresa se tornou referência em equipamentos home device. A COSMEDICAL fabrica, comercializa e importa equipamentos para a saúde, desde 2008.

https://cosmedical.com.br/

https://sportllux.com.br/