Conectado por

Nacional

Laudo aponta que menino Rafael foi estrangulado; mãe confessou crime

Publicado por

em

Laudo médico do posto médico de Carazinho confirmou que Rafael Winques, de 11 anos, morreu estrangulado, ao contrário do que havia sido apontado pela mãe, Alexandra Dougokenski. A mulher confessou ter dado uma superdosagem de remédio à criança para acalmá-la. O corpo do menino foi encontrado na cidade de Planalto, no Rio Grande do Sul, nessa segunda-feira (25/05).

Continua após a publicidade

De acordo com o Instituto-Geral de Perícias, a causa da morte foi por asfixia mecânica. Para o delegado do caso, Joerberth Nunes, a mãe não verificou se a criança estava morta e a enrolou em sacos plásticos, o que provocou a morte.

“Teria dado dois comprimidos de Diazepam para que ele dormisse com tranquilidade. Na madrugada, ela teria acordado e verificado, segundo ela, que a criança estava morta. Como que ela tinha a certeza que a criança estaria morta e não apenas desmaiada? Ela enrolou a criança no lençol, colocou fios em alguma parte do corpo e foi arrastando, segundo ela, até a residência ao lado”, alegou.

“A motivação do crime é uma incógnita. Até o momento, após todos os depoimentos coletados, nenhum indica qualquer desavença dessa mãe com esse filho. Isso torna o caso ainda mais complexo, mas certamente a Polícia Civil vai responder todas as perguntas”, disse Nunes.

Para não interferir nas investigações, a mãe de Rafael segue em prisão preventiva.

METROPOLES