Conectado por

Cuiabá-MT

Juntos há 10 anos, noivos se casam e têm esperança em curar câncer – veja vídeo


Compartilhe:

Publicado por

em

Poderia ser uma noite como outra qualquer para Maria, independente, divorciada e mãe de três filhos saindo para dançar. Uma mulher que, naquela época, tinha 37 anos e estava muito bem resolvida com o próprio coração. Vaidosa, ela tratou de vestir uma roupa que a deixasse linda naquele final de semana. 

Desde que se conheceram, apesar das diferenças de personalidade, resolveram ficar juntos. Hoje, preparam o casório

Anenias, por outro lado, não esperava tanto da noite. Após dar carona a um conhecido para o Galpão, resolveu dar uma olhada na pista de dança e avistou muito reluzente, Maria. Nascido e criado em igreja evangélica, até tentou não ficar impressionado, mas a vontade de conhecer aquela moça que descreve para reportagem como “bundinha pra cima”, foi maior.

Ele não arredou o pé da porta da casa noturna até que Maria saísse, junto com a mãe que lhe fazia cia, e as ofereceu carona.

Desde aquele momento, o casal não se separou e celebram 10 anos de união. No caminho de casa, Anenias conta que usou o melhor do seu palavreado. Depois disso, logo engataram um namoro e passaram a morar juntos. Hoje, Maria Amélia está com 47 anos e seu companheiro Anenias Barbosa com 59 anos. Neste sábado (3), eles irão trocar alianças no casamento social realizado pela Prefeitura de Cuiabá.

Preparação para o casório

Ansiosos, na última semana eles foram buscar as alianças. Moradores do bairro Canjica, antes de seguir rumo à entrevista, ela descreveu o endereço pelo whatsapp, perto das quitinetes do Tião, disse. Quase na rua onde o casal esperaria repousado em uma rede e uma cadeira de balanço, um vizinho apontou a direção.

Dayanne Dallicani

Maria Am�lia e Anenias Barbosa

Vizinho reconhece referências e aponta para direção da casa de Maria e Anenias. Casal vive junto e resolveu oficializar o matrimônio na União comunitária

A recepção foi calorosa, com sorriso no rosto, turbante roxo e blusa floral, Maria não dispensa cores em sua vida. O vestido de noiva será longo, recebeu alguns ajustes da costureira da loja, e ela descreve o véu confeccionado especialmente para sua cabeça: branco, clássico e com toques surpresas. Detalhe importante, e que foi pensado como um presente especial da assessoria da prefeitura. 

Dayanne Dallicani

Maria Am�lia e Anenias Barbosa

Noivo apaixonado mostra foto da amada e recorda momentos que viveu ao seu lado. Diz que foi amor à primeira vista

O motivo não foi tão empolgante. É que esse cuidado se deve também a uma doença recém-descoberta pela noiva. Há quatro meses, Maria luta contra um câncer no nariz.

Devido às sessões de quimioterapia, ela perdeu 90% dos cabelos, mas segue confiante que será uma das noivas mais bonitas do evento.

Conta que retornou à igreja, que havia abandonado nos últimos anos. Tem fé que irá curar o câncer e, junto com o noivo, ambos seguem para a formalização da união – o pastor aconselhou e eles dirão sim no altar.

Maria e Anenias tem personalidades bastante diferentes. Entre brigas e reconciliações, eles dão um tom cômico para a conversa. Ele diz que ela o cantou primeiro, ela, sem perder o jogo de cintura, fala que ele insistiu para ficar com ela todos estes anos.

No final, o sorriso revela que as brincadeiras acontecem e, apesar das diferenças, se amam. “Eu sempre gostei dela, mas acho que ela não percebia isso até a enfermidade. Vou cuidar sim, me casar também e vamos juntos para a igreja agora. Chamo ela para ir a igreja comigo há muitos anos, mas ela preferia o baile. Eu não sei dançar, levava ela, acompanhava algumas vezes”, conta.

A noiva tem outra versão e ressalta que até tentou ensinar o companheiro umas três vezes, mas ele não leva jeito. “Para dançar vanerão, rasqueado ou qualquer outra dança tem que ter molejo. Ele é duro, não consegue”, comenta entre risos. 

O jogo de cintura para superarem as diferenças e vencerem, juntos, as dificuldades é evidente. Anenias busca a aliança e exibe. E, quando questionado se queria mesmo se casar, ele retruca que não, mas explica. “Eu pedi para ela se casar comigo outras vezes, ela disse não. Dessa vez quer se casar e percebeu que eu gosto dela. Então, vamos oficializar a união para nós e para Deus”, finaliza.

Maria justifica e diz que por ela também não casaria de novo, mas agora percebe um motivo maior. Sossegada nos braços do amado, com carinho que ele a vem tratando, quer mesmo é ficar do seu lado.

Dayanne Dallicani

Maria Am�lia e Anenias Barbosa

A equipe foi até a casa dos noivos e entendeu essa história que deve ter mais um episódio emocionante neste sábado. O carisma dos dois deixou todas as tristezas da vida mais leves

O grande dia

A cerimônia do Casamento Social Cuiabá 300 anos deve ocorrer neste sábado (3), às 18 horas, no Hotel Fazenda Mato Grosso. O evento foi idealizado pela primeira-dama Márcia Pinheiro, coordenado pela Secretaria de Assistência Social e Desenvolvimento Humano e acontece com a ajuda de alguns parceiros e sem investimento público.

Ao todo, foram quase três meses de preparação para o grande dia. Tudo está sendo ordenado para que seja o mais especial possível.

Os lugares dos casais, por exemplo, estarão separados, todos alinhados na frente, de forma que todos vejam a cerimônia. Segundo a organização, cada casal terá seu momento de protagonismo.

As vagas para o Casamento Social foram todas preenchidas no primeiro dia de inscrição e a lista de espera encontra-se com o dobro de inscritos. Na data, além do casamento legal, haverá troca de alianças, fotos, lembranças de casamento e outros detalhes para que o dia seja completamente especial.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *