Conectado por

Agronegócios

Jornal Rondônia Dinâmica passa a publicar coluna ‘Campo e Lavoura’ do jornalista José Luiz Alves


Compartilhe:

Publicado por

em

Ao receber o convite para produzir uma coluna aos finais de semana no portal de noticias Rondônia Dinâmica divulgando as atividades voltadas para o agronegócio, não contei até três e assumi este compromisso. Gosto do campo, sou filho de agricultor, aprendi acordar de madrugada, acompanhando o trinar da passarada, bem como, para assistir os equipamentos modernos colocando as sementes no solo, que germinam, gerando trabalho e riquezas nas áreas rurais e urbanas.

Ser jornalista

O jornalista elogia e crítica ao mesmo tempo, agradando e desagradando. Aprendi com o mestre Walter Galvani, que na atualidade com mais de 90 janeiros nos ombros continua em plena atividade, ensinando que jornalista, não deve ter compromisso com ideologia, ou partido político, errando e acertando sempre deve ter independência. Jornalista que pensa e escreve abraça uma profissão singular que quase sempre o leva para solidão. Ser jornalista é como aceitar um sacerdócio. O meu é o agronegócio.

Economia de pé

O agronegócio manteve a economia de Rondônia de pé no primeiro semestre de 2020, computando os valores exportados pela carne e soja injetando R$ 1,5 bilhão, o que significa um aumento de 30% sobre o mesmo período do ano anterior conforme explica, o superintendente da Federação das Indústrias de Rondônia, Gilberto Batista.

 Plano Safra

O superintendente do Banco do Brasil, em Rondônia, Edison Lemos informa que na quarta-feira 1º de julho às 8:00 horas a instituição anunciará em rede online o  Plano Safra 2020/2021, que terá recursos da ordem de R$ 1,7 bilhão para investir no agronegócio, neste estado incluindo agricultura familiar. Isso representa um aumento de 20% em relação ao Plano Safra 2019/2020.

Bom exemplo

O governo do estado acertou ao cancelar a 9ª Rondônia Rural Show, assim que a pandemia provocada pelo coronavirus começou a dar sinais de agressividade, exemplo positivo seguido pelos organizadores de eventos do gênero, entre eles o município de Ariquemes. No Rio Grande do Sul, a Exposição Internacional de Esteio (EXPOEINTER) que ano passado movimento mais de R$ 3 bilhões corre o sério de ser adiada este ano, assim como outras, no Paraná e Goiás. Imagine o tamanho do prejuízo para as economias regionais.

Quebrando a tradição

Até a Semana Farroupilha, que ocorre na primeira quinzena de setembro comemorando termino do maior conflito armado no Brasil, conhecido como a “Guerra dos Farrapos” entre sulistas e representantes do Império que duro dez anos, (1835/1845) no Rio Grande Sul, em 2020 vai sofrer alterações substanciais, inclusive o cancelamento dos desfiles, churrascos e danças tradicionalistas. É um evento que reúne milhares de visitantes e turistas de todo o Brasil. Outro baque provocado pelo coronavirus.

Só faltava essa!

O território brasileiro ser invadido por uma nuvem de gafanhotos vindos da Argentina. Quem conhece a história no sul do País, sabe que na década de 1950 aquela região enfrentou o mesmo fenômeno atacada por nuvens de gafanhotos que destruiu lavouras de milho, feijão e arroz consumindo as pastagens nas fazendas e invernadas. Milhares de bovinos morreram por falta de alimentos. Agora mais de meio século depois, o desastre ambiental pode se repetir.

FONTE:https://www.rondoniadinamica.com/noticias/2020/06/jornal-rondonia-dinamica-passa-a-publicar-coluna-campo-e-lavoura-do-jornalista-jose-luiz-alves,78216.shtml