Conectado por

Mato Grosso

Janaina Riva diz que Prefeitura é “cemitério de político” e revela desejo de disputar cargos federais e Governo


Compartilhe:

Publicado por

em

As declarações do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, de que poderá ficar de fora das próximas eleições, colocaram o nome da deputada Janaina Riva na bolsa de apostas do MDB para concorrer ao Alencastro. A parlamentar, no entanto, não demonstrou interesse em assumir a incumbência, citou que Prefeituras costumam “enterrar” carreiras políticas e revelou intenção de disputar, no futuro, vagas na Câmara Federal, no Senado ou até mesmo para o comando do Governo de Mato Grosso.

“Cuiabá é uma cidade com muitos problemas a serem sanados e muita gente fala que Prefeitura é cemitério de político, então é uma preocupação que eu tenho. Eu nunca cogitei disputar uma Prefeitura porque eu tenho uma relação muito forte com o interior e eu não gostaria de perder isso, pensando num projeto futuro de Federal, Senado, Governo, qualquer coisa. Mas eu tenho dito sempre, claro, que estou dentro do partido. Mas daqui até lá tem tanta coisa para acontecer que não tem como a gente traçar quem é candidato ou quem não é”, declarou a deputada, nesta sexta-feira (12).

“Não é algo que eu cogito, as pessoas têm me abordado na rua para falar disso e eu tenho dito isso a elas que tenham calma”, acrescentou a parlamentar, que teve seu nome defendido para representar o MDB nas próximas eleições pelo cacique do partido, deputado federal Carlos Bezerra, durante convenção no dia 06 de abril.

Algumas pessoas ainda consideram cedo, mas as eleições de 2020 têm movimentado bastante a política da Capital. Ao menos seis políticos já demonstraram disposição em pleitear o cargo, entre eles o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (DEM), que apesar de ser filiado a outra sigla recebeu elogios de Janaina Riva, que o considerou um bom quadro.

A deputada, no entanto, pediu cautela. “O que eu analiso hoje, principalmente do pleito aqui em Cuiabá que o foco é maior, por ser Capital, pela estrutura, eu tenho que acompanhar isso, como acho eu acho que os outros também têm que fazer, mas com muita cautela”.

Máquina na mão

Sem Janaina, líderes do MDB poderão ter de quebrar a cabeça para encontrar um sucessor para Emanuel Pinheiro. O partido já garantiu que terá candidatura própria, mas enfrenta a resistência do atual chefe do Executivo cuiabano, que alega questões familiares para não tentar reeleição.

“Não posso dizer dessa água não beberei. Mas a primeira-dama não quer, ela é meu braço direito, então pesa, ne?! Eu ainda tenho o contraditório. Mas ela me pediu e é um compromisso que nós fizemos, porque ela já não queria da ultima vez. Então, vamos levar até 31 de dezembro. Deixa 2020 para 2020”, disse Emanuel Pinheiro, ao ser questionado sobre o assunto durante a festa dos 300 anos da Capital.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *