Conectado por

AL/MT

Janaina: ALMT atuará para garantir licenças e dar celeridade à obra


Compartilhe:

Publicado por

em

A deputada estadual Janaina Riva (MDB) afirmou que a Assembleia Legislativa terá papel fundamental nos próximos meses para garantir celeridade nos trâmites legais da construção da ferrovia estadual. O objetivo é que a obra saia do papel em tempo recorde.

A declaração foi dada durante assinatura do contrato entre o Governo do Estado e a Rumo Logística S/A para execução da obra, cujo investimento previsto é de R$ 11,2 bilhões em recursos privados.

“A Assembleia está pronta para fazer todas as modificações legais necessárias para que a ferrovia não encontre óbice e a obra aconteça em um período recorde e a gente possa vê-la funcionar o quanto antes”, disse.

Assembleia está pronta para fazer todas as modificações legais necessárias para que a ferrovia não encontre óbice e a obra aconteça em um período recorde

Janaina afirmou que a próxima fase após a assinatura do contrato, que consiste na concessão das licenças ambientais, é uma das mais difíceis a serem vencidas em razão da burocracia existente no país.

“A Assembleia entende que a participação vai ser de protagonista, porque a gente sabe das dificuldades que teremos, principalmente com as leis ambientais”, disse.

“Mas sendo uma concessão estadual, a gente espera que ela aconteça mais rápido que as demais obras, porque a burocracia é muito menor do que a do Governo Federal”, acrescentou.

“Marco histórico”

Para a deputada, a ferrovia que consiste no prolongamento da malha da Ferronorte no Estado pode ser vista como um marco histórico para Mato Grosso e para o país e corrige uma desigualdade logística existente atualmente na Baixada Cuiabana.

“Essa ferrovia vem corrigir uma desigualdade com relação à baixada cuiabana, uma região completamente desassistida e sem perspectiva de ter uma ferrovia passando por aqui e que agora deve receber esse complexo logístico que vai mudar a vida da população”, disse.

A obra consiste na construção de 730 km de malha ferroviária, ligando Rondonópolis a Cuiabá e à Nova Mutum e Lucas do Rio Verde, conectando-se à malha ferroviária nacional em direção ao Porto de Santos (SP).

A Rumo irá explorar a concessão pelos próximos 45 anos. A construção deverá ter início em até seis meses após a emissão da licença ambiental de instalação, ou seja, a previsão é de os canteiros de obras se iniciem em torno do 2º semestre de 2022.

A expectativa é de que o Terminal de Cuiabá seja concluído até o 2º semestre de 2025 e o de Lucas do Rio Verde, até o 2º semestre de 2028.

Midianews.com.br

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento