Conectado por

Meio Ambiente

Ipês florescem e colorem ruas de Porto Velho


Compartilhe:

Publicado por

em

Todos os anos, a natureza resolve recompensar os moradores de Porto Velho durante o período mais quente do ano. São os ipês que começam a florescer em vários pontos da cidade, criando verdadeiros refúgios de cores em meio ao cinza do asfalto e as cores opacas de prédios e imóveis.

O fenômeno, segundo biólogos, é muito comum não somente em Porto Velho, mas em outras cidades do interior de Rondônia e na Amazônia.

Flávio Terassini explica que os ipês são nativos da Mata Atlântica, porém costumam ocorrer também no Cerrado e nativos em alguns estados como o Acre. Podem aparecer também na América do Sul.

“O ipê é uma árvore que pode chegar até os 30 metros de altura. Nessa época de seca, as folhas caem e as flores roxas ou lilás começam a embelezar a cidade. Em alguns lugares o ipê branco branco também é visível”, diz o biólogo.

Para que a floração dos ipês ocorra todos os anos, é necessário o trabalho de alguns animais, responsáveis pela polinização, como insetos, abelhas e alguns pássaros que estão atrás de seu néctar e acabam por auxiliar na floração e dispersão do pólen.

Flores e 'shallow now' de ipê rosa, em Porto Velho.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Flores e ‘shallow now’ de ipê rosa, em Porto Velho. — Foto: Pedro Bentes/G1

Se na época de seca o ipê está florido, no período chuvoso as flores cedem espaço às folhas verdes. A árvore é usada ainda como alimento por alguns animais. “As iguanas, típicas de nossa região, adoram comer as lindas flores roxas, além de alguns macacos”, lembra Flávio.

Entre as muitas finalidades que o ser humano atribuiu aos ipês ao longo do tempo, está o uso ornamental e até medicinal, onde pessoas costumam usar o chá da casca do ipê para curar algumas doenças. No entanto, os biólogos alertam para os riscos dessa prática.

“É bom se informar antes de fazer o chá e para que ele é usado, se não você vai fazer um chá errado e se intoxicar. É bom procurar um médico para que indique isso corretamente. Mas o ipê tem sim o seu potencial na área da medicina”, explica o biólogo.

Com sua madeira firme e rígida, o ipê é usado também como madeira de lei, sendo utilizado para instrumentos musicais e boliches. Já pelos indígenas, costuma ser usado para a elaboração de arco e flecha.

Morador de Porto Velho caminha entre flores dos ipês.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Morador de Porto Velho caminha entre flores dos ipês. — Foto: Pedro Bentes/G1

Flores dos ipês rosas formam 'tapete' em canteiro de avenida em Porto Velho.  — Foto: Pedro Bentes/G1

Flores dos ipês rosas formam ‘tapete’ em canteiro de avenida em Porto Velho. — Foto: Pedro Bentes/G1

Flores dos ipês 'pintam' grama castigada pelo clima seco, em Porto Velho. — Foto: Pedro Bentes/G1

Flores dos ipês ‘pintam’ grama castigada pelo clima seco, em Porto Velho. — Foto: Pedro Bentes/G1

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *