Conectado por

Rondônia

Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia participa de discussão sobre novo plano regulatório do Inmetro


Compartilhe:

Publicado por

em

Com foco na capital rondoniense quanto às ações de fiscalização, o Instituto de Pesos e Medidas de Rondônia (Ipem-RO), deve passar por adaptações que estão em discussão junto ao Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O presidente do Ipem-RO, Aziz Rahal Neto, esteve em um encontro nacional que aconteceu no Rio de Janeiro na última semana deste mês. “Nos dias 12 e 13, foi tratado sobre o novo modelo regulatório do Inmetro, que caminha junto com as ideias dos governos federal e estadual em desburocratizar. Estão sendo tomadas medidas para que os próprios empresários se auto regulamentem”

Segundo Aziz, os órgãos delegados ao Inmetro de todo o país estão estudando o melhor método para “acreditarem” as empresas. “O interessante é que a gente se modernize e acompanhe outros países, como na Europa e América do Norte. Lá o empresário é mais responsável pelo seu produto, e não fica a carga toda só para o órgão”.

Nos dias 14 e 15, o presidente conta que o tema foi o novo convênio bianual. “Estamos buscando um melhor convênio, mais padronizado, regulamentando os serviços que os institutos estaduais prestam ao nacional, o valor recebido para isso, sempre seguindo a proposta de trabalhar com mais economia”, explica.

Esta foi a primeira rodada de acordos, e o presidente acredita que ainda aconteçam mais duas negociações, para qual ficou decidido que cada região elegesse um representante, sendo o da região Norte o presidente do Ipem em Manaus. O acordo caminha para a possibilidade de, nos próximos anos, o Ipem-RO voltar a ser autossuficiente, para não mais precisar que o Estado cubra a folha de pagamento do instituto. “Neste primeiro momento estamos tentando conseguir a cobertura da produtividade, o que já seria metade do valor da folha, mas ainda não temos afirmativa”, completa

NOVIDADES

Para os próximos dois anos, o Inmetro quer implantar novas tecnologias contra fraudes eletrônicas, com interação do consumidor através de aplicativo para controle dos usuários. “Um sensor no ‘bico’ da bomba de combustível poderá fazer a medição do combustível. Os postos terão um certificado digital, não sendo mais necessário que os fiscais passem de posto em posto verificando as bombas. Todo o sistema ainda está em discussão para ser criado, e isso facilitaria a vida tanto dos institutos quanto dos consumidores”, esclarece o presidente.

Aziz sugeriu que uma tecnologia também seja estudada para a aplicar em balanças frigoríficas, eximindo a dúvida de fraudes eletrônicas também nesses equipamentos, já que a negociação de compra e venda de gado é uma atividade constante e sempre há questionamento sobre o real peso/valor do produto. “Já encaminhamos ofício ao Inmetro e vamos torcer para que haja alguma tecnologia que possa ser destinada para este sentido”.

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento