Conectado por

Agronegócios

Importações de carne suína pela China triplicam

Publicado por

em

As importações de carne suína pela China em março quase triplicaram em relação ao ano passado, segundo informações divulgadas pelo portal especializado suinoculturaindustrial.com.br. Os dados alfandegários foram divulgados nesta terça-feira e indicam que os compradores tentam preencher uma enorme lacuna de oferta depois que a peste suína africana dizimou o enorme rebanho suíno do país.

Continua após a publicidade

“A China, maior consumidor mundial, recebeu 391 mil toneladas de carne suína em março, ante 127.218 toneladas em março de 2019, segundo cálculos da Reuters com base em dados alfandegários. Os embarques de carne no primeiro trimestre chegaram a 951.mil toneladas, quase duas vezes em relação ao mesmo período do ano passado, mostraram dados da Administração Geral das Alfândegas”, informou o portal.

Isso porque a peste suína africana reduziu pelo menos 40% do rebanho de porcos da China e diminuindo seu estoque de matrizes em até 60% em 2019, cortando a produção de suínos e enviando os preços da carne favorita do país para recordes, disse o portal. A gravidade da doença se dá pelo fato de não ter cura e ser necessária a morte dos animais infectados.

“Nesse cenário, a China recebeu mil toneladas de carne de porco nos dois primeiros meses de 2020, um aumento de 158% em relação ao ano anterior”, completou o portal especializado.

Ainda sobre o mercado global, o portal indica que o coronavírus está prejudicando o setor de carnes dos Estados Unidos. “Temos acompanhado os EUA de perto, fazendo levantamentos sobre a produção nos Estados, para saber como que a doença está se comportando no interior do país”, disse Tereza Cristina.

Agrolink