Conectado por

Acre

Homem se acorrenta na frente de hospital para cobrar cateterismo no pai internado há 10 dias no AC


Compartilhe:

Publicado por

em

O autônomo Francisco Cavalcante de Souza, de 48 anos, em um ato de desespero, se acorrentou na manhã desta quarta-feira (6) em frente ao Hospital de Urgência de Emergência de Rio Branco (Huerb).

Ele pede que o procedimento de cateterismo do pai, o idoso Luiz Maia de Souza, de 74 anos, seja feito e alega que o quadro de saúde dele se agrava enquanto espera.

O diretor do Huerb, Welber de Lima, diz que o pagamento da empresa Hemocardio, que faz o procedimento está atrasado há sete meses e a Secretaria de Saúde está negociando para que os pacientes sejam atendidos em até dois dias.

Conforme Souza falou ao G1, o pai está no leito 17, na emergência do hospital há pelo menos dez dias e nesse período já adquiriu uma pneumonia, o que teria agravado o quadro do idoso, e não há previsão de quando o procedimento vai ser feito.

“O cardiologista mandou ele para o PS e nós já estamos há mais de dez dias aqui. Ele passou quatro dias em uma cadeira e já adquiriu uma pneumonia e vão só protelando. A informação é que a espera pode durar um mês, dois meses e até um ano”, lamenta.

Além do pai do autônomo, mais dez pessoas estão na mesma situação esperando para fazer o cateterismo, segundo confirmou o diretor do Huerb. Souza lamenta a situação e teme que o pai não resista sem fazer o procedimento.

“Ou ele faz a cirurgia ou ele morre. Meu pai trabalhou 72 anos, ele é contribuinte e tem direitos para passar por essa situação. Quando meu pai chegou aqui era um simples procedimento para fazer e ir para casa em 48 horas. Mas agora o quadro dele se agravou”, reclama.

Negociação

Diretor do Huerb diz que secretário negocia para que serviço retorne — Foto: Alcinete Gadelha/G1

Diretor do Huerb diz que secretário negocia para que serviço retorne — Foto: Alcinete Gadelha/G1

A empresa que presta serviço para o Estado não recebe há sete meses. Por causa disso, o procedimento foi suspenso em dezembro de 2018. Com a troca de governo, foi reaberto, mas com a revisão que o governo faz em relação aos contratos de gestão anterior, o serviço tornou a ser suspenso.

“O secretário está renegociando os contratos para poder entrar no acordo para pagar, para solucionar e ter a liberação de atendimentos”, informou Lima.

O diretor do Huerb disse ainda que conversou com dono da empresa e disse que vai ter uma solução. Além disso, afirmou que o secretário está trabalhando para que até o final da semana, em um dia ou dois, o problema seja solucionado.

Lima ainda culpa o governo anterior e diz que recebeu uma herança que não se dá a ninguém. “Porque foi essa gestão acabada, que o governo acabou e destruiu e isso está refletindo agora”, concluiu.