Conectado por

Acre

Greve dos médicos em hospital no interior do AC continua e pode afetar outros profissionais


Compartilhe:

Publicado por

em

A greve dos médicos no Hospital do Juruá, em Cruzeiro do Sul, já completa quatro dias e muitos pacientes que procuraram a unidade nesta sexta-feira (16) tiveram que voltar pra casa sem atendimento.

Os médicos da unidade estão em greve desde segunda-feira (12) e só os casos considerados graves estão sendo atendidos.

Os outros servidores da unidade também reclamam de salários atrasados e podem parar as atividades a qualquer momento.

A empregada doméstica Maria Luciene Araújo, de 40 anos, chegou ao Pronto-Socorro do Hospital do Juruá, às 9h reclamando de dor na barriga. Por não ter seu estado de saúde considerado como grave, foi orientada a procurar uma unidade básica de saúde.

“Há uma semana estou sentindo uma dor na barriga que quando vou fazer xixi não consigo, fica só pingando aquele pouquinho mesmo. Estou para não aguentar, toda inchada. Vim para tomar um remédio e não passaram nada, agora vou ver se consigo dinheiro para comprar pelo menos um remédio para tomar por contra própria mesmo”, disse Luciene.

Os médicos do Hospital do Juruá estão cobrando metade do salário atrasado do mês de setembro e afirmam que negociaram para receber o salário de outubro no dia 22 de novembro. Mas, a empresa que administra a unidade de saúde não cumpriu com o acordo.

Não apenas os médicos do Hospital do Juruá estão com pagamento em atraso, os enfermeiros, técnicos e auxiliares de enfermagem e até a equipe de segurança também ainda não receberam o salário de outubro e ameaçam também entrar em greve.

Nesta sexta-feira, o sindicato dos enfermeiros devem fazer uma assembleia com a categoria para decidir se paralisam as atividades.

O representante do Sindicato dos Médicos, Theobaldo Dantas, disse que a greve ainda está mantida, mas a empresa responsável pelo pagamento dos profissionais já teria informado que o governo já repassou os recursos do convênio para a conta da empresa.

G1 tentou ouvir os representantes da Ansau, entidade que administra o hospital, e teve a informação que o diretor clínico da unidade, o médico Marcos Lima, entraria em contato para falar sobre o assunto, mas, até o final da manhã, o médico não procurou a reportagem.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento