Conectado por

Saúde

Grávida menstruando e sem barriga? Descubra se é possível

Publicado por

em

Por Karina Tafner, ginecologista e obstetra*

Continua após a publicidade

Quando uma mulher está gestante e ainda não descobriu a gravidez, tem como maior risco o atraso no início do pré-natal e no acompanhamento adequado da gestação. O feto e a mãe podem ser expostos a diversas doenças como infecções adquiridas e patologias da gestação.

Em conjunto com a falta de avaliação do bem-estar fetal no pré-natal, colocam em risco a saúde de ambos.

Por isso, quando houver dúvidas sobre uma possível gestação, você deve levar em consideração algumas questões.

Barriga de grávida

Todas as gestantes têm aumento da barriga durante a gravidez. O aumento abdominal ocorre devido ao crescimento uterino que acompanha o desenvolvimento do bebê.

Algumas gestantes têm um maior aumento abdominal, outras, menor, mas esse aumento está sempre presente. O tamanho da barriga da gestação depende de algumas variáveis como sua paridade, estrutura corporal, musculatura abdominal, tamanho do bebê, gordura corporal e ganho de peso durante a gestação.

Grávida menstrua?

Assim como o aumento abdominal está sempre presente, a menstruação está sempre ausente. Menstruação é definida como o fluxo de sangue provocado pela descamação das paredes uterinas (endométrio), quando não ocorre a fecundação, ou seja, quando não há gestação.

Assim, menstruação e gravidez são dois eventos que não ocorrem ao mesmo tempo. Quem está grávida não menstrua e quem está menstruada não pode estar grávida. Não há exceções.

O que pode ocorrer são sangramentos durante a gestação que podem ter diversas causas (por exemplo, ameaça de aborto) mas, com certeza, a menstruação nunca será uma delas.

Os sangramentos, quando ocorrem, são irregulares, sem sincronicidade, com duração, fluxo e volume variável, não seguindo o padrão do sangramento menstrual normal. E, na grande maioria das vezes, esse sangramento está relacionado a complicações da gestação que podem levar a riscos para mãe e feto.

Ganho de peso na gravidez

A gestante também sofre um aumento de peso na gestação, ganhando, em média, 12 quilos. O aumento de peso pode ser maior ou menor, mas sempre ocorre porque:

  • Há aumento de 30% do volume sanguíneo circulante no corpo da gestante, levando a um peso extra ao redor de 1,2 quilo
  • O bebê cresce e, ao nascimento, pesa entre 3000 a 3500 gramas
  • A camada muscular do seu útero cresce juntamente com o bebê, passando a pesar 900 gramas a 1 quilo
  • Os seios aumentam de tamanho e pesam 400 gramas a mais
  • A placenta pesa ao redor de 700 gramas no final da gestação
  • O líquido amniótico, que envolve o bebê, soma uma média de 2 quilos

Além de todas as modificações citadas acima, que levam ao aumento de peso, você pode acumular gordura no corpo durante a gravidez, para garantir um estoque extra de energia para a fase da amamentação. Esse acúmulo é variável e depende de vários fatores como dieta e exercícios físicos da gestante.

Primeiros sintomas de gravidez

Foto por John Looy / Unsplash
Foto por John Looy / Unsplash

Os primeiros sintomas de uma gestação são divididos em:

Sintomas de presunção: são sintomas que a gestante apresenta e que podem estar presentes em várias outras situações.

  • Náuseas e vômitos: presentes em cerca de 80% das gestantes, em algum nível. Náuseas e enjoos matinais geralmente se desenvolvem entre as semanas 4 e 6 e se mantém, com grande melhora, após as 12 semanas de gestação)
  • Tonturas: presentes em 50% das gestantes, devido às alterações hormonais
  • Alterações do apetite: A fruta que você normalmente ama parece um pouco sem gosto? Ou o seu desejo por cachorro-quente parece “fora de moda”? A mudança de apetite é comum como um sinal precoce da gravidez. Frequentemente, os alimentos que você normalmente deseja não parecerão bons para você. Isso também pode ser devido a alterações hormonais e alterações nos seus sentidos
  • Salivação excessiva: ocorre por maior produção de saliva consequente às alterações hormonais
  • Azia: os hormônios podem fazer com que a válvula entre o estômago e o esôfago relaxe, permitindo que o ácido estomacal “vaze”, causando refluxo e azia
  • Aversão a certos odores: embora possa haver pouco consenso científico sobre esse assunto, ele continua sendo um sintoma comumente relatado. A sensibilidade ao olfato é algo que muitas mulheres relatam, particularmente, nos estágios iniciais da gravidez. Também pode ser uma das causas de náusea durante esse período
  • Mais idas ao banheiro (polaciúria e nictúria): durante a gravidez, seu coração aumenta a quantidade de sangue que bombeia. Isso faz com que o rim processe mais líquido do que o normal, o que leva a mais líquido na bexiga e, assim, mais idas ao banheiro. Os hormônios também desempenham um papel importante na saúde da bexiga. Você pode encontrar-se correndo para o banheiro com mais frequência ou acidentalmente perder urina.)
  • Sonolência e cansaço: a fadiga pode se desenvolver a qualquer momento durante a gravidez, sendo mais comum no seu início e no final, quando a barriga já está mais pesada. No início da gestação, ocorre devido aos níveis de progesterona aumentados que podem fazer você se sentir mais sonolenta
  • Dor nas mamas: pode ocorrer entre as semanas 4 e 6 da gestação. É provável que você desenvolva seios sensíveis e inchados devido a alterações hormonais. Diminui após algumas semanas quando seu corpo se ajustar aos hormônios.

Sinais de presunção da gestação: Incluem características como aumento do volume abdominal, melasma facial e linha nigra.

Sintomas e sinais de probabilidade: são mais evidentes de gravidez, no entanto, não a caracterizam com certeza.

  • Atraso menstrual: o atraso menstrual é, frequentemente, o primeiro sinal de que você pode estar grávida. Muitas mulheres começam a procurar outras respostas porque sabem que pode ser uma gestação. Sempre que houver um atraso menstrual, a primeira coisa em que devemos pensar é gravidez e, para não haver dúvidas, o teste deve sempre ser realizado
  • Aumento do volume uterino
  • Aumento da vascularização da vagina e vulva com mudança de coloração (arroxeada)
  • Aréola mamária secundária: aréola – a área ao redor do mamilo – pode mudar para uma cor mais escura e aumentar

Muitas das alterações e sintomas corporais da gravidez que você experimentou no primeiro trimestre começarão a desaparecer assim que você chegar ao segundo trimestre.

Sinais de certeza da gravidez: é o que confirma a gravidez:

  • Ausculta e contagem dos batimentos cardíacos fetais (BCF) pode ser confirmada na 10ª e 12ª semana de idade gestacional por meio de Doppler
  • Percepção de movimentos fetais ativos que podem ser sentidos em geral na 16ª a 20ª semana de idade gestacional
  • Visualização do esqueleto fetal realizado pelo ultrassom e que pode ser confirmado na 8ª semana de idade gestacional

São diversas as alterações que as gestantes experimentam, tanto no início quanto no final da gravidez, sugerindo que você possa estar grávida. Essas informações são importantes para que não sejam ignoradas quando presentes.

O mais importante é que você saiba que na presença de algumas (ou várias) delas e dúvida em relação ao diagnóstico, sempre deve realizar o teste de gravidez.

* Karina Tafner, ginecologista e obstetra; médica assistente do ambulatório de reprodução assistida da Santa Casa (FCMSCSP); especialista em endocrinologia ginecológica e reprodução humana pela Santa Casa; especialista em reprodução assistida pela FEBRASGO

FONTE:https://www.minhavida.com.br/familia/materias/36498-gravida-menstruando-e-sem-barriga-descubra-se-e-possivel?utm_source=news_mv&utm_medium=MS&utm_campaign=8573006