Conectado por

Rondônia

Governo Federal autoriza repasse de R$ 2,2 milhões para construir ponte em Buritis, RO


Compartilhe:

Publicado por

em

O Governo Federal, por meio do Ministério da Integração, autorizou o repasse de R$ 2,2 milhões para construir uma ponte de concreto sobre Rio Candeias, na Linha C-34, em Buritis (RO), no Vale do Jamari. A antiga ponte, que era de madeira, foi levada por uma enchente em 2015, considerada pela Defesa Civil como a maior dos últimos 20 anos.

A portaria que autoriza o empenho e o repasse dos recursos para a reconstrução da infraestrutura pública danificada por desastre natural foi publicada na última quinta-feira (27), no Diário Oficial da União, junto a portarias que autorizam a liberação de recursos para os municípios de Quilombo (SC), Rancho Queimado (SC), Candelária (RS) e Sant’Ana do Livramento (RS).

O apoio federal para as obras preventivas para os municípios de Quilombo e Rancho Queimado são de R$ 1,7 milhão e R$ 495,9 mil, respectivamente. Já para as obras de restabelecimento de sistemas de drenagem, o valor destinado a cidade gaúcha de Candelária será de R$ 149,9 mil e R$ 268,9 para Sant’Ana do Livramento.

De acordo com a Secretaria de Planejamento de Buritis (Semplan), o recurso será utilizado de forma integral para a construção de uma ponte de concreto, que substituirá a ponte de madeira que foi feita no local após a antiga ser levada pela força da enchente.

O projeto apresentado pelo município e aprovado pela Defesa Civil Nacional passará por alguns ajustes e será levado ao procedimento de licitação, para buscar uma empresa responsável pela obra. A prefeitura tem o prazo de um ano para iniciar as obras.

A enchente

As águas dos Rios Candeias e São Domingos e do Igarapé do Veado transbordaram após dois dias de fortes chuvas em março de 2015, em Buritis. As saídas da município ficaram inundadas e mais de mil casas foram invadidas pela água da enchente. A prefeitura chegou a decretar estado de emergência.

Na época, o Corpo de Bombeiros da cidade informou que as águas subiram cerca de três metros. A coordenadoria da Defesa Civil no município disse que seis setores foram atingidos e ficaram alagados.

Chuva derrubou a residência e o lava jato de Reinaldo Mendes — Foto: Eliete Marques/G1

Chuva derrubou a residência e o lava jato de Reinaldo Mendes — Foto: Eliete Marques/G1

Em um bairro, o autônomo Vitor Jonc contou que a casa ficou quase submersa pela enchente. “Faltou apenas uns 80 centímetros para cobrir. Foi rápido de mais. Nem deu tempo para tirar todas as coisas. É muito triste ver as coisas que foram tão difíceis de conseguir, sendo destruídas”, lamentou.

O dono de um lava jato disse que quando acordou se deparou com a água invadindo a casa. “As águas levaram meu comércio, uma motocicleta, bombas, a minha casa. Perdi tudo. Foi só choro e tristeza. Minha mulher passou mal e precisei levá-la para o hospital. Tudo que eu tinha foi por água abaixo”, disse Reinaldo Mendes Ferreira.

Ambulância caiu no rio com cinco passageiros, mas ninguém ficou ferido — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Ambulância caiu no rio com cinco passageiros, mas ninguém ficou ferido — Foto: Rede Amazônica/Reprodução

Até uma viatura do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) caiu no Rio São Domingos enquanto tentava fazer a travessia da ponte durante um atendimento. O motorista foi surpreendido pela força da água e a ambulância foi levada pela correnteza. Cinco pessoas estavam no veículo, mas ninguém se feriu.

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento