Conectado por

Mato Grosso

Governo estima gastar R$ 250 milhões com prevenção e combate ao coronavírus em 4 meses em MT

Publicado por

em

O governo de Mato Grosso estima gastar cerca de R$ 250 milhões em ações de prevenção e combate ao novo coronavírus, caso a pandemia dure entre quatro e cinco meses. O anúncio foi feito pelo governador Mauro Mendes (DEM), em entrevista coletiva nas redes sociais, nesta segunda-feira (6).

Mendes disse ainda que já pediu novos equipamentos aos hospitais de referência em combate ao coronavírus e aguarda entrega, prevista para os próximos dias.

“Pedimos os equipamentos da China, pois aqui já não tem mais. Agora estamos esperando chegar”, afirmou.

O pico da doença, segundo o secretário de Saúde, Gilberto Figueiredo, deve ocorrer entre a primeira quinzena deste mês e o início de maio. Nesse período, as ações de prevenção e combate devem ser reforçadas.

“Entendemos que em um cenário como este é preciso trabalhar com ações estratégicas. Dias piores virão, mas quando chegar no pico [da doença], que tenhamos condições de atender a população”, disse.

Até a manhã desta segunda-feira, segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT), foram confirmados 60 casos do novo coronavírus em Mato Grosso, além de um óbito, registrado no dia 3 deste mês.

Entre as ações de preparação do estado para o pico da doença, está a construção de 200 leitos no Hospital Metropolitano de Várzea Grande. A unidade será a referência estadual para atendimento dos casos graves de coronavírus.

Ao todo, a unidade ficará com 260 leitos, já que atualmente o local conta com outros 60 leitos.

“Estamos em ritmo acelerado da obra. Até o dia 20 vamos estar com instalações novas para receber os equipamentos. Estamos trabalhando para melhorar e chegar no pico da pandemia preparados. Se necessário, o governo contratar leitos em hospitais privados”, afirmou Gilberto.

Além disso, no dia 28 de março, o governador anunciou mais 147 leitos exclusivos para o tratamento de possíveis casos graves de pacientes com o coronavírus no Hospital Estadual Santa Casa, em Cuiabá.

Serão 30 leitos de UTI e 117 leitos de enfermaria.

O governo afirmou que também já possui UTIs preparadas em Sinop, Rondonópolis, Alta Floresta.

G1