Conectado por

Acre

Governo do Acre tem R$ 42 milhões para recuperar espaços históricos


Compartilhe:

Publicado por

em

O governo Sebastião Viana (PT) vai injetar R$ 42,8 milhões até o final do ano em obras de construção e revitalização dos espaços que abrigam o patrimônio histórico e cultural do Acre. O levantamento foi feito pelo ac24horas junto à presidência da FEM (Fundação Elias Mansour).

A notícia vem em meio à tragédia ocasionada pelo incêndio que destruiu todo o acervo do Museu Histórico Nacional na noite deste domingo (2) no Rio de Janeiro.

Entre os investimentos estão a entrega do Museu dos Povos Acreanos, prevista para ocorrer em dezembro, e a reforma do Museu da Borracha, ambos no centro da capital.

O Museu da Borracha, que guarda os principais bens da história acreana, chegou a ficar fechado para visitas e com sua estrutura comprometida; atualmente ele passa por reformas com custo de R$ 1,3 milhão.

Outro importante espaço que guarda a história do Acre, o Memorial dos Autonomistas também está em recuperação; o investimento é de R$ 500 mil.

Locais como o Teatro Barracão, Teatro Plácido de Castro, a Usina de Artes João Donato, a Biblioteca Pública e da Floresta em Rio Branco estão no cronograma de reformas. Ainda para a capital está prevista a construção da sede do Departamento do Patrimônio Histórico e Cultural, ligado à Fundação Elias Mansour.

O governo também fala em investimentos semelhantes em algumas cidades do interior como Brasiléia, Xapuri, Cruzeiro do Sul e Tarauacá.

Um dos mais esperados e polêmicos é o novo Museu dos Povos Acreanos, localizado no antigo prédio do Colégio dos Padres. Sua construção foi criticada pelo alto custo em tempos de crise financeira e orçamento reduzido. Ao todo, a obra está estimada em R$ 28,6 milhões.

De acordo com a FEM, todos estes recursos têm como origem a captação junto a organizações internacionais, sem comprometer o orçamento próprio estadual.