Conectado por
Governo de Rondônia

Featured

Governo define medidas para solucionar entrada de venezuelanos em Roraima

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Para solucionar os conflitos entre brasileiros e imigrantes venezuelanos em Pacaraima, Roraima, ministros e técnicos do governo federal reuniram-se, neste domingo (19), com o presidente da República, Michel Temer, no Palácio do Planalto. Entre as medidas definidas pelo grupo está o deslocamento de 36 voluntários da área da saúde para o estado, onde vão atender os imigrantes venezuelanos em parceria com hospitais universitários.

Além disso, será enviado um reforço de 120 homens da Força Nacional de Segurança: 60 viajam nesta segunda-feira (20) e outros 60 em data ainda não definida. Uma comissão interministerial também se deslocará ao estado para avaliar possíveis ações complementares.

Autoridades federais têm visitado Roraima desde o início da crise migratória. As medidas para buscar soluções aos problemas na região somam um custo de mais de R$ 200 milhões e incluem o ordenamento da fronteira, com controle e triagem dos imigrantes; a construção de instalações para abrigá-los; e a interiorização, quando eles são encaminhados para outros estados.

Medidas

Um encontro com o objetivo de concluir as negociações para o início das obras do chamado “linhão”, serviço de transmissão de energia, está programado para esta segunda-feira (20). A novidade permitirá integração de Roraima ao sistema elétrico nacional, deixando de lado a dependência em relação à energia da Venezuela. O governo também determinou a intensificação dos esforços para deslocar os venezuelanos para outros estados ou abrigá-los, entre Boa Vista e Pacaraima, para atendimento humanitário dos migrantes que aguardam o processo de interiorização.

“Todas as medidas visam assegurar a situação de segurança e o bem-estar da população de Roraima. Obviamente, dando o tratamento digno que merece qualquer imigrante ou refugiado de acordo com a lei de imigração brasileira, que determina o acolhimento deles nessa situação”, ressaltou o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, Sergio Etchegoyen, em coletiva à imprensa, nesta segunda. “O fechamento da fronteira é impensável, é uma solução que não ajuda em nada a questão humanitária”, ponderou.

Resistência

Desde o agravamento da situação, no último sábado (18), quando moradores de Pacaraima atacaram barracas e abrigos dos imigrantes, o Itamaraty está em contato com as autoridades venezuelanas. Ainda neste domingo (19), cerca de trinta brasileiros que se encontravam em território venezuelano puderam retornar em segurança ao Brasil. De acordo com as autoridades locais, não há registro de feridos entre os venezuelanos. O GSI informou que a situação nesta segunda-feira (20) é tranquila, sem perspectiva de conflitos.