Conectado por

Rondônia

Fotos e vídeos emocionantes da despedida do professor Claudemir de Aragão Oliveira Filho, popular “Buzuga”


Compartilhe:

Publicado por

em

Foto recente de Buzuga na festa de aniversário de Taiana Oliveira, na tradicional residência de Dona Lucila, bairro Olaria

Uma trajetória de dedicação e trabalho sério pela educação e a cultura em Porto Velho. É com esta memória que parentes, amigos, colegas de profissão e alunos de várias partes da cidade, principalmente os da Escola Castelo Branco, se despedem do professor Claudemir Aragão de Oliveira filho, 52 anos, o popular “Buzuga”.                    

 Seu velório foi realizado nessa segunda-feira (30), em Porto Velho, com a presença de familiares, amigos, alunos e colegas de trabalho, todos comovidos pela despedida precoce do amigo de todas as horas.

Na internet, as demonstrações de carinho vieram de várias partes da cidade, já que a atuação de Buzuga tinha deixado legado em várias escolas de Porto Velho, afinal eram 25 anos dedicados a ensinar Fanfarra à alunos, prática cívica desenvolvida por Buzuga com muito amor e dedicação.

Seu velório foi realizado nessa segunda-feira (30), em Porto Velho, com a presença de familiares, amigos, alunos e colegas de trabalho

Durante o velório, amigos deram depoimentos sobre o eterno instrutor de Fanfarra, Professor Buzuga, que era servidor do Estado, onde foram unânimes em afirmarem que ele nunca dizia não para seu próximo e nem para missões dadas a ele.

 “Buzuga fazia com uma perna (devido diabetes foi amputada uma delas) que muitos que tem duas não conseguiriam fazer, homem bom, humildade dele era extraordinária, não tenho mais palavras”. Diz emocionado o colega professor Jeferson.

Foto recente de Buzuga na festa de aniversário de Taiana Oliveira, na tradicional residência de Dona Lucila, bairro OlariaA diretora da Escola Castelo Branco Joelma foi se despedir do colega e também emocionada elogiou a natureza de seu amigo. “Pessoa que tinha um coração de anjo, atencioso, companheiro, sempre disposto a estender a mão ao seu próximo”.

“Sem palavras… A tristeza tomou conta do meu coração, ele sempre tinha belas palavras de ânimos para a gente!”, disse abalado o segurança da escola Feitosa.

“Hoje perdemos um ser humano incrível, um coração enorme, um profissional irreparável, um ser humano que se colocava sempre na intenção de ajudar”, comentou a amiga de infância Aderli Viana, a “Deka”.

“Sempre iremos lembrar-nos do entusiasmo que tinha o Buzuga em tudo naquilo que se envolvia, sejam nas festas de quadrilhas, as populares festas Juninas, ou em festas particulares narrando e animando sempre com alegria e disposição as brincadeiras de danças folclóricas”. Diz emocionado Athelmar Viana, o “Eros”, outro amigo que desde a infância convivia com Buzuga.

“Que a tristeza de agora possa nos unir e nos fazer valorizar sempre o que realmente importa: a vida! Vai em paz! Sentiremos saudades!”. Diz o amigo de infância e praticamente criados juntos na mesma Rua Franklin Castelo.

Alunos e ex-alunos também aproveitaram para fazer homenagens ao professor. “Ele sempre me incentivou a não desistir dos meus objetivos. Tirou-me de caminhos errados e me trouxe de volta a sociedade”, contou um ex-aluno.

“É uma dor que não conseguimos mensurar, mas uma gratidão eterna de quem foi o Buzuga em nossas vidas. Nosso maior incentivador. Um carinho sem igual. Luto eterno por esse grande!”, disse Alef, líder da Fanfarra da Escola Castelo Branco.

Buzuga faleceu na madrugada de domingo (30), fazia hemodiálise, pois sofria de diabetes há anos, devido uma queda de moto recente, e por pensar que não era algo tão sério não procurou avaliar seu estado de saúde, que pode ter contribuído com seu óbito na noite de sábado para domingo.

De família tradicional e pioneira de Porto Velho, a perda foi sentida em vários segmentos da sociedade, seu pai Claudemir Aragão de Oliveira (Sr. Mildo da Sorveteria Tucumã) procurava se manter firme para acalmar sua esposa Francisca Araújo de Oliveira, mas a dor por dentro era imensa, só Deus para dar tanta força para toda família. Seus irmãos Claudineia Araújo de Oliveira (Néia do Ipam), professor Claudionor Araújo de Oliveira e Claudiomar Araújo de Oliveira mesmos arrasados, juntamente com demais familiares foram firmes em conduzir a cerimônia e os procedimentos fúnebres.

“Assim como a vida do nosso irmão foi com muita alegria na medida do possível tentamos nós despedir como ele pediu com sua FANCAB tocando e sem tristeza. Obrigada irmão por você existir e ser da minha família. DESCANSE EM PAZ. NOS TE AMAMOS E SEMPRE VOU TE AMAR”. Agradecemos o carinho de cada pessoa que foi dar seu ultimo adeus ao Buzuga, agradecemos também as centenas de mensagens nas redes sociais e via watts zap de pessoas que não puderam comparecer ao velório e posterior ao seu sepultamento, somos sabedores que Buzuga só tinha amigos, amigos irmãos de verdade! Obrigado a todos,” agradeceu em nome da família a irmã Claudinéia.

Veja vídeos:

 

Homenagem nas redes sociais:

Fotos:

Alunos e ex-alunos fizeram homenagens ao professor Buzuga

O espaço foi pequeno para receber tantos amigos, mas todos puderam se despedir do querido Buzuga

Alunos da Fanfarra do Colégio Castelo Branco realizam ato de despedida emocionante

Multidão dão último adeus ao Buzuga

 
Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Publicidade

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento