Conectado por

Saúde

Fonoaudiologia e vedamento labial: Quais as implicações?


Compartilhe:

Publicado por

em

A fonoaudiologia tem como objetivo o restabelecimento das funções de respiração, mastigação, deglutição e fala visando o equilíbrio destas funções e da musculatura da face.

O trabalho fonoaudiológico visa sobretudo prevenir, habilitar ou reabilitar estas funções.Entre as funções estomatognáticas, a respiração exerce função vital, fornece energia ao organismo, é responsável por trocas gasosas e é elemento básico para comunicação oral, além de propiciar o crescimento e desenvolvimento craniofacial.Alterações da função respiratória, que deve ser predominantemente nasal, alteram todo o equilíbrio morfofuncional do sistema estomatognático.

Que a respiração deve ser nasal não é novidade, mas nem sempre isso é possível devido a alguns impedimentos.Para que a respiração nasal ocorra é necessário que não existam obstruções nasais e/ou faríngeas, alterações oclusais (arcadas dentárias) que impeçam o selamento labial, nem alterações da musculatura oral e facial como flacidez dos músculos faciais, levando a abertura da boca e causando a respiração oral funcional, quando não há obstrução.

A falta de vedamento labial seja por alterações obstrutivas, oclusais, ou por mau hábito apenas, quando ocorre leva a alteração dos músculos que ficam ao redor dos lábios e do queixo. Em geral o músculo orbicular superior fica diminuído em seu tamanho, o orbicular inferior fica flácido e invertido e o músculo do queixo fica hipertenso por tentar compensar a falta do fechamento dos lábios. Sendo assim, pode-se inferir que o vedamento ineficiente de lábios ocorre devido a alguns fatores. São eles: problemas oclusais, como por exemplo, a biprotrusão dentária que projeta os lábios para frente, incompetência labial devido à diminuição do tônus, ou apenas por hábito, e respiração oral devido à obstrução das vias respiratórias superiores.

Nos casos onde a oclusão dentária está impedindo o vedamento labial, há necessidade de intervenção ortodôntica, já que a forma (oclusão dentária) está limitando a função (respiração nasal). No caso de problemas respiratórios de origem obstrutiva é necesária a avaliação e intervenção médica.Quando há incompetência labial devido a alterações da musculatura oral e facial ou respiração oral por hábito (funcional), é necessária a avaliação fonoaudiológica.

A avaliação fonoaudiológica tem como objetivos realizar diagnóstico preciso e planejar a terapia fonoaudiológica adequada para cada caso.O tratamento fonoaudiológico conscientizará o paciente sobre a importância e necessidade da respiração nasal, orientará a realização de exercícios, movimentos e massagens que alongam e adequam a musculatura que fica ao redor dos lábios, re-estabelecem o tônus e a postura.

O tratamento fonoaudiológico voltado para os distúrbios miofuncionais orofaciais visa, sobretudo, a estabilidade e harmonia entre forma e função.

O fonoaudiólogo é o profissional que propicia ao indivíduo boas condições para o vedamento labial, da mesma maneira que o ortodontista é o responsável pela oclusão dentária (arcadas dentárias) e o médico pela adequação da respiração nasal.

Deve-se ressaltar que não devemos chamar a atenção ou até exigir que crianças e adultos mantenham lábios ocluídos, quando não há condições para tal.O trabalho conjunto entre médico, ortodontista e fonoaudiólogo, com troca de informações, é o caminho mais indicado para o sucesso deste tipo de tratamento e maior satisfação dos pacientes.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *