Conectado por

fatalidade

Família pede apoio para transferência de homem que se jogou de viaduto em Pimenta


Compartilhe:

Publicado por

em

Familiares de Gabriel Ângelo Soares, 30 anos, que se jogou do viaduto de Pimenta Bueno no dia 14 deste mês, após um surto psicótico, estão apelando às autoridades da Saúde para viabilizar uma vaga na UTI do Hospital de Base ou em outro hospital que tenha o mesmo suporte para atender o paciente em Porto Velho.

Érika Souza, irmã de Gabriel Angelo, diz que ele é portador de esquizofrenia paranoide e, em surto, após sair da Capital dirigindo um veículo Peugeot e acabou colidindo com outro carro no município de Pimenta Bueno.

Segundo a irmã, Gabriel foi levado ao hospital da região, mas não teria recebido o tratamento para portador de transtorno mental, e acabou fugindo na manhã do dia 14.

Com o impacto da queda, Gabriel teve politraumatismo e necessita de angiotomografia de pulmão para avaliar embolia gordurosa e derrame pleural. Érika Souza explica, que o tomógrafo do Hospital Regional de Cacoal que realizaria o exame em seu irmão, está em manutenção e sem previsão de funcionamento.

A família de Gabriel reside na Capital e, para melhor acomodação deles e do paciente, está tentando junto a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) a transferência para Porto Velho, onde tem melhor assistência.

Nesta quarta-feira (26), a família conseguiu o apoio da Defensoria Pública de Cacoal, que impetrou Mandado de Segurança na Justiça para assegurar o direito de transferência de Gabriel Ângelo.

Segundo o laudo do médico responsável por avaliar Gabriel, a transferência dele pode ser para a UTI do João Paulo II, Hospital de Base ou em outra UTI que possa receber o paciente o mais breve possível.

Ainda segundo o laudo médico, a transferência de Gabriel só poderá ser feita em UTI aérea. Para a família, o Hospital de Base seria o mais ideal para receber Gabriel, por contar com tratamento psiquiátrico especializado e com alas para este tipo de paciente.