Conectado por

Agronegócios

Exportadoras de grãos e agricultores são multados em R$105 mi por desmatamento


Compartilhe: Entre no nosso grupo do Whatsapp

Publicado por

em

BRASÍLIA (Reuters) – Cinco empresas exportadoras de grãos, entre elas Cargill e Bunge, e dezenas de agricultores receberam multas no valor total de 105,7 milhões de reais devido a atividades ligadas ao desmatamento ilegal, informou o Ibama nesta quarta-feira.

As tradings de grãos, que ainda incluem ABC Indústria e Comércio SA, JJ Samar Agronegócios Eireli e Uniggel Proteção de Plantas Ltda, foram multadas em 24,6 milhões de reais.

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), que impôs as multas, disse em um comunicado que as companhias compraram quase 3 mil toneladas de grãos produzidos em áreas que, segundo as leis ambientais, estão proibidas para o cultivo.

A Cargill disse que não recebeu nenhuma notificação do Ibama sobre as compras ilegais de soja e que analisará a questão.

A Bunge informou que suas compras de grãos na área na qual foi multada estão de acordo com as melhores práticas e que consultou bancos de dados públicos sobre áreas proibidas, acrescentando que apoia o Ibama e os esforços de preservação do Brasil.

O volume de soja a que se refere as multas, contudo, é ínfimo perto do total que as tradings movimentam anualmente, na escala dos milhões de toneladas.

Representantes das outras companhias não foram encontrados de imediato para comentar.

As multas foram uma fase da “Operação Shoyo”, que vem sendo realizada desde abril e por meio da qual o Ibama e procuradores federais vêm coibindo o uso de terras ilegais em Matopiba, região do Cerrado formada pelos Estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia.

O Matopiba é uma das regiões em que o cultivo de soja mais cresce, graças a terras ainda relativamente baratas.

O coordenador-geral de Fiscalização Ambiental do Ibama, Renê Luiz de Oliveira, disse que o desmatamento ilegal no Cerrado está avançando muito mais rápido em Matopiba do que em outras regiões do bioma.

“Isso exige que se fortaleçam as estratégias de controle para deter todo elo ilegal da cadeia de suprimentos”, disse ele no comunicado do Ibama.

A operação se concentrou em áreas que já haviam sido desmatadas ilegalmente e que foram interditadas pelo Ibama para permitir que a vegetação nativa volte a crescer.

Dezenas de agricultores foram multados por produzirem grãos nestas áreas, por impedirem o retorno da vegetação nativa ou por tentarem comercializar produtos oriundos das áreas proibidas.

Clique para comentar

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + dezessete =

Publicidade
CRÉDITO JÁ - EMPRÉSTIMOS
Casas De Apostas Online

ALE-RO

ÓTICA DINIZ



Desenvolvimento
Agronegócios4 minutos atrás

Nutrição de qualidade é fator-chave para aves de postura superarem estresse calórico, recomenda especialista

Porto Velho14 minutos atrás

Prefeitura dará celeridade em licenciamento de obras do Heuro em Porto VelhoEstrutura será construída entre a rua América do Sul e Avenida Guaporé, no bairro Lagoa Visita tratou sobre a emissão das licenças necessárias para a obra Visita tratou sobre a emissão das licenças necessárias para a obra O prefeito de Porto Velho, Hildon Chaves, recepcionou nesta segunda-feira (17), no Prédio do Relógio, o secretário de Saúde do Estado, Fernando Máximo, o Procurador Geral do Estado, Maxwel Mota de Andrade, e representantes do Consórcio Vigor Turé, vencedor da licitação que será responsável pela construção e manutenção do novo Hospital de Urgência e Emergência de Rondônia (Heuro) na capital. A visita aconteceu para dar celeridade na emissão das licenças necessárias para o início das obras. De acordo com o prefeito, saúde é sempre um gargalo às gestões de qualquer governo. “Nossa equipe está alinhada com essa demanda. Vamos dar o start com toda prioridade, de forma imediata junto às secretarias municipais que são fundamentais para a liberação dos documentos: Regularização Fundiária, Habitação e Urbanismo (Semur), de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Sema) e de Trânsito, Mobilidade e Transportes (Semtran). De nossa parte, podem ficar tranquilos”, afirmou Hildon Chaves. O encontro ocorreu no mesmo dia da assinatura do contrato pelo Governo de Rondônia que prevê o início dos trabalhos da unidade que substituirá o atual Hospital João Paulo II. A assinatura do termo contou com a presença do secretário-geral de Governo (SGG), Fabricio Jurado. Uma reunião com os titulares das secretarias municipais e os empresários foi marcada para a tarde desta segunda-feira, na sede da Semur, para os alinhamentos necessários. Texto: Etiene Gonçalves Foto: Leandro Morais Superintendência Municipal de Comunicação (SMC)

ALE/RO21 minutos atrás

ALE/RO: Deputado Jair Montes participa da assinatura do contrato para construção do Heuro

Beleza23 minutos atrás

‘Botox’ preventivo é arma eficaz contra envelhecimento da pele, diz especialista

Economia30 minutos atrás

Estudo da OIT aponta recuperação lenta do mercado de trabalho em 2022