Conectado por
Governo de Rondônia

Polícia

Ex-paciente diz que ‘Doutora Enfermeira’ usava cola instantânea como curativo

Publicado por

em


Continua após a publicidade

Policiais da Delegacia do Consumidor (Decon) investigam se a auxiliar de enfermagem Fernanda Silva Almeida, de 39 anos, a “Doutora Enfermeira”, usava cola instantânea e esmalte como curativo para as aplicações de silicone industrial. Dona de um salão de beleza em Nova Iguaçu, que também funcionava como uma clínica clandestina, Fernanda foi presa em flagrante, nesta quarta-feira, acusada de realizar procedimentos estéticos e de desviar produtos e medicamentos do Hospital municipal Pedro II.

Agentes da Decon encontraram muitos medicamentos dentro do salão de Fernanda
Agentes da Decon encontraram muitos medicamentos dentro do salão de Fernanda Foto: Divulgação / Polícia Civil

Uma ex-paciente da falsa enfermeira, que pediu para não ser identificada, conta que depois de ter feito o procedimento de bioplastia, começou a sentir, em casa, que um líquido transparente estava saindo pelos pontos onde Fernanda teria aplicado o produto:

— Lembro que falei com a Fernanda que estava achando estranho que o líquido estava escorrendo pela minha perna e ela disse que era para eu apenas passar um pouquinho de esmalte nos locais. Umas outras meninas que conversei depois, disseram que ela costumava colocar um pouco de cola instantânea logo depois dos procedimentos e que na verdade ela usava o silicone industrial no lugar do metacril.

Fernanda foi presa em flagrante
Fernanda foi presa em flagrante Foto: Reprodução / Instagram

A delegada titular da Decon, Daniela Terra, conta que em meio as caixas de metacril, medicamentos vencidos e dos frascos de silicone industrial encontrados no salão da Doutora Enfermeira, os investigadores encontraram muitos tubos de cola instantânea:

— Nós estamos esperando que outras vítimas da Fernanda possam vir a delegacia para contar sobre as experiências que já tiveram com ela. Em seu depoimento informal, ela admitiu que fazia as aplicações de metacril nas clientes, mas nega que tenha usado silicone industrial.

Fernanda foi presa, nesta quarta-feira pela Decon
Fernanda foi presa, nesta quarta-feira pela Decon Foto: Pablo Jacob / O Globo

SALÃO TINHA SILICONE INDUSTRIAL E METACRIL

Fernanda passou a noite de ontem no Presídio de Benfica, na Zona Norte do Rio. E nesta sexta-feira, segundo informações da Decon, passará por uma audiência de custódia às 13h. Durante a manhã desta quarta-feira, agentes da Delegacia do Consumidor (Decon) fecharam o salão de beleza “Espaço brilho de mulher’ que funcionava de forma irregular em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O local, segundo denúncias recebidas pelo EXTRA e repassadas à especializada, é utilizado por Fernanda Silva de Almeida e oferece procedimentos estéticos, entre eles a técnica do “Levanta bumbum”.

Espaço que era usado pela Doutora Enfermeira para fazer procedimentos estéticos na Baixada Fluminense
Espaço que era usado pela Doutora Enfermeira para fazer procedimentos estéticos na Baixada Fluminense Foto: Ricardo Rigel – Extra

No espaço, na Vila Iracema, os policiais encontraram 425 caixas de PMMA 30% (Metacril), 25 frascos de silicone industrial, diversos medicamentos vencidos além de um equipamento lipoaspirador e materiais cirúrgicos desviados do hospital municipal Pedro II. A “Doutora Enfermeira” não estava no local, mas foi encontrada pela polícia em sua residência, no mesmo bairro.

Fernanda foi presa
Fernanda foi presa Foto: Reprodução / Polícia Civil

Fernanda foi presa em flagrante, ao prestar depoimento à Decon. Segundo a delegada titular da especializada, Daniela Terra, a falsa enfermeira já tinha cinco anotações criminais. A primeira, em 2014, ela foi autuada no crime contra a ordem tributária por portar produtos fora da validade. Em 2016, ela respondeu pelo crime de injuria. E no ano passado, Fernanda foi autuada por exercício ilegal da medicina, ameaça e mais uma vez por portar produtor fora da validade.

A Doutora Enfermeira trabalha como auxiliar de enfermagem no Hospital Federal dos Servidores do Estado, no Centro do Rio. Só que no salão dela foram encontrados equipamentos cirúrgicos do Hospital Municipal Pedro II, na Zona Oeste.

— Ela vai responder pelos crimes de exercício ilegal da medicina, armazenamento de produto vencido, falsidade material, tendo em vista os receituários médicos sem o devido preenchimento, e receptação qualificada, pois existiam no local materiais provenientes do Pedro II. Ela conseguiu esse material, mas ainda não disse como — contou a deletada titular da Decon, Daniela Terra.