Conectado por

Acre

Espero uma justa apuração, diz Sebastião sobre presos pela PF


Compartilhe:

Publicado por

em

O governador Sebastião Viana usou sua página no Twitter para comentar sobre o depoimento prestado por ele à Polícia Federal no início da tarde desta terça-feira (11), na condição de testemunha, nas investigações da Operação Santinhos que desarticulou suposto esquema de crimes eleitorais envolvendo políticos do PRB no Acre.

“Foi um prazer colaborar com a PF-Acre, na condição de testemunha, sobre operação que apura suposta compra de votos nas últimas eleições. Por diversas vezes sugeri à PF terrível esquema de compras de votos nas últimas eleições”, escreveu o petista.

A operação policial resultou na prisão da deputada estadual reeleita Dra Juliana Rodrigues (PRB), que integra a base de Sebastião na Assembleia Legislativa, e do presidente da Câmara Municipal de Rio Branco, vereador Manuel Marcos (PRB), eleito deputado federal em outubro.

“Quanto aos envolvidos hoje, espero justa apuração”, disse o governador. Conforme o ac24horas mostrou mais cedo, agentes da PF estiveram no gabinete civil de Sebastião Viana para convidá-lo a participar das investigações como testemunha.

Questionado sobre a intimação do governador, o delegado Eduardo Maneta, coordenador da operação, comentou que ela foi necessária para que ele próprio explicasse o motivo de ter contratado, para cargo de confiança na estrutura do governo, o empresário Thaisson de Souza Maciel, e a esposa dele, Mirian Maciel.

Thaisson é acusado pela PF de ser o dono da empresa de fachada criada pelo esquema de políticos do PRB para desviar recursos públicos do Fundo Eleitoral. Segundo o inquérito, a empresa era contratada para produzir os santinhos de campanha dos candidatos, mas sem imprimir um único material gráfico. Ao todo, R$ 1,5 milhão teriam sido desviados.

Thaisson foi agraciado, semanas antes da eleição, com um cargo na Secretaria de Pequenos Negócios. Já a esposa do empresário, Mirian, foi nomeada para um cargo comissionado na Secretaria de Saúde. Além do governador, os secretários também foram intimados a se explicar.